Horas de espera para trocar escudos

Dois seguranças do Banco, um no início da fila e outro no fim, controlam as entradas para que não se prolonguem para a noite

As portas do Banco de Portugal fecharam, mas a fila ainda dá a volta ao quarteirão. Pessoas que têm as últimas notas de escudo para trocar e que, desta vez, não as vão levar para 2018.

Maria Eugénia Almeida chegou às 10:45 e só às 16.30 entrou na sede do Banco de Portugal, na Baixa. "Nem saí para almoçar. Só bebi aguinha e tomei o antibiótico", afirmou. Veio trocar as notas de dois mil escudos da mãe. "Nem sei quantas são, deu-me o envelope e é assim que o vou entregar. Com as minhas fiz um quadro, frente e verso, muito bonito. Meti-o por cima da lareira", referiu Eugénia, que tem 67 anos e está reformada - era administrativa.

Maria Cândida de Portugal, 69 anos, reformada do comércio, veio da margem Sul com três notas de cinco mil, sete de mil e duas de 500. "Nem sei quanto valem. Fui deixando passar e até já pensava que não as podia trocar. Foram as que ficaram e também não me fizeram falta. Agora surgiu esta oportunidade e já não a deixei passar", referiu.

Está na fila desde as 12:00. Mas na família ainda ficam notas de escudo, são as dos filhos que também querem fazer um quadro com elas.

Dois seguranças do Banco, um no início da fila e outro no fim, controlam as entradas para que não se prolonguem para a noite.

Amanhã é o último dia para trocar algumas notas de escudo.

Exclusivos