Horário de 40 horas normalizado na GNR, diz ministra

Constança Urbano de Sousa admite alguma insatisfação apenas na área do Trânsito, pois especificidade exige mais de 40 horas semanais

A ministra Constança Urbano de Sousa disse esta segunda-feira que a generalidade dos militares da GNR já cumprem uma média de 40 horas de trabalho semanais com duas folgas.

A governante, que tutela a pasta da Administração Interna, admitiu haver ainda "alguma insatisfação" na área do Trânsito, mas a nova norma interna da GNR permitiu estabilizar o cumprimento dos horários de trabalho nas 40 horas e com direito a duas folgas semanais por parte dos militares da Guarda.

Constança Urbano de Sousa intervinha no debate na especialidade do orçamento da Administração Interna para 2017, onde sobressai a criação da Lei de Programação de Infraestruturas (LPI) com a qual a tutela procura garantir a execução das obras de modernização ou construção de quartéis e esquadras sem perturbações a nível orçamental.

A secretária de Estado Adjunta, Isabel Oneto, precisou que as obras em curso decorrem dos contratos estabelecidos pelo governo anterior e que, no caso do posto da GNR em Reguengos de Monsaraz, foi a própria Guarda a dizer que não precisava das novas instalações (estimadas em 2,8 milhões de euros).

Isabel Oneto disse ainda que a revisão dos projetos deixados pelo executivo anterior e ainda não iniciados, adaptando-os às necessidades efetivas em função do número de agentes e exigências da missão, permitiu "fazer poupanças" que não quantificou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG