"Há uma melhoria. O Dr. Mário Soares está mais reativo a estímulos"

Mantém-se o quadro de prognóstico reservado e o antigo presidente continua inconsciente e na unidade dos cuidados intensivos

Mário Soares está a apresentar uma ligeira melhoria e está mais reativo a estímulos, segundo o porta-voz do Hospital da Cruz Vermelha José Barata. Mantém-se o quadro de prognóstico reservado e o antigo presidente continua inconsciente e na unidade dos cuidados intensivos.

"Há uma melhoria. O Dr. Mário Soares está mais reativo a estímulos", disse José Barata aos jornalistas esta tarde, na última atualização do estado de saúde do ex dirigente.

Foi iniciada "alimentação entérica por sonda nasogástrica" e "os exames clínicos hoje efetuados pela equipa multidisciplinar não revelam agravamento dos parâmetros laboratoriais", referiu ainda o porta-voz.

Por volta das 23.00 desta quarta-feira, o ex-presidente da câmara de Lisboa, João Soares, partilhou no Facebook uma imagem de um monitor cardíaco, aparentemente o do pai, dizendo apenas "Lisboa".

Esta manhã foi revelado que Soares tinha começado a reagir a estímulos durante a noite, revelando uma "discreta" melhoria em relação a ontem, apesar de continuar em situação crítica.

Mário Soares, que comemorou 92 anos no dia 7 deste mês, foi internado na madrugada de terça-feira no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa.

Ontem, o sobrinho de Soares, Eduardo Barroso, revelou aos jornalistas que o estado do antigo presidente da República é grave. Barroso disse que o tio estava "inconsciente e muito fragilizado" e que a saúde de Soares sofreu uma quebra muito grandes nos últimos tempos.

"São 92 anos de uma homem que já estava fragilizado, e que ficou muito mais fragilizado depois da encefalite e ainda mais depois de ter perdido a tia, a sua mulher e, portanto, qualquer soprozinho de uma complicação pode ser mais grave no seu caso", disse Eduardo Barroso, relembrando que Mário Soares esteve internado durante mais de uma semana no Hospital da Luz, em 2013, devido a uma encefalite.

A última aparição pública de Mário Soares aconteceu a 28 de setembro, no Hospital da Cruz Vermelha, numa homenagem à mulher, Maria Barroso, que foi presidente daquela instituição e morreu a 7 de julho do ano passado.

Ainda ontem, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, visitou Soares mas não fez nenhum comentário sobre o seu estado de saúde.

Esta quarta-feira, o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, foi um dos amigos que se deslocou à unidade de saúde para "dar um grande abraço de solidariedade à família, à Isabel, ao João, todos os familiares e amigos".

"O doutor Mário Soares é uma figura de referência do nosso país, da nossa história. Também para a minha geração, que lhe deve muito. A minha geração cresceu, viveu sempre em liberdade e devemos isso muito ao doutor Mário Soares", disse aos jornalistas.

Fernando Medina falou dos "laços de amizade" que o unem ao antigo Presidente da República e à família, a quem veio dar "força e ânimo" neste "momento difícil".

"Encontrei-os tristes, como todos nós estamos, como creio que o país está neste momento, mas também com a força e com a determinação para vencer esta curva difícil", confidenciou.

O bispo Januário Torgal Ferreira também esteve esta manhã no Hospital da Cruz Vermelha para visitar Mário Soares, de quem "foi sempre extremamente amigo".

"Eu venho sobretudo prestar homenagem a um lutador pela liberdade, pela tolerância, um aceitador reto e não populista pela diferença. É bom encontrar-se um homem que diz o que pensa", disse aos jornalistas.

Segundo Januário Torgal Ferreira a amizade por Mário Soares "radica essencialmente por ele ser laico, republicano e socialista".

"Não faço mais até que vir agradecer porque quando morreu um dos meus irmãos muita gente não esteve comigo e com a minha família e o doutor Mário Soares esteve comigo. Também estou aqui por gratidão", disse, destacando o "à vontade de ser livre" do histórico socialista.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG