Guterres ganha sexta eleição e é dado como novo secretário-geral da ONU

Sexta eleição ganha sem nenhum voto contra. Conselho de Segurança quer aprovar Guterres por "por aclamação".

António Guterres venceu esta quarta-feira a sexta votação para o cargo de secretário-geral da ONU, com 15 votos a favor (dois deles neutros), indicam resultados divulgados a partir das Nações Unidas.

António Guterres vai ser o novo secretário-geral da ONU, com a votação formal a realizar-se quinta-feira para o Conselho de Segurança propor o seu nome à Assembleia Geral.

Os 15 votos positivos do candidato português correspondem a 13 votos de encorajamento - quatro dos quais de membros permanentes - e dois neutros, sendo um destes do quinto membro permanente.

"Aclamação"

O presidente do Conselho de Segurança da ONU, o embaixador russo Vitaly Churkin, disse aos jornalistas que o organismo espera recomendar "por aclamação" o nome de António Guterres na quinta-feira.

"Hoje, depois da nossa sexta votação, temos um favorito claro e o seu nome é António Guterres. Decidimos avançar para um voto formal amanhã de manhã [quinta-feira] e esperamos fazê-lo por aclamação", disse aos jornalistas Vitaly Churkin.

Depois de uma hora e meia de encontro, pela primeira vez na história da organização os 15 embaixadores dos países com assento no Conselho de Segurança vieram falar aos jornalistas para anunciar o nome do português.

"Senhoras e senhores, estão a testemunhar uma cena histórica. Nunca foi feito desta forma. Este foi um processo de seleção muito importante", disse o embaixador russo.

Momentos depois, a embaixadora dos Estados Unidos junto da ONU disse que os 15 países membros do Conselho de Segurança decidiram unir-se em volta de António Guterres devido às provas que deu na sua carreira e durante a campanha.

"As pessoas queriam unir-se em volta de uma pessoa que impressionou ao longo de todo o processo e impressionou a vários níveis de serviço", disse Samantha Powell aos jornalistas.

"Toda a sorte"

A búlgara Kristalina Georgieva, que já deu os parabéns a António Guterres e lhe desejou "as maiores felicidades" e "toda a sorte no cumprimento da agenda ambiciosa das Nações Unidas", recebeu oito votos negativos (dos quais dois de membros permanentes), cinco votos a favor (dois também de membros permanentes) e dois neutros (entre os quais o quinto membro permanente do Conselho de Segurança), indica a France Press.

Outra candidata, a neo-zelandesa Helen Clark, também já saudou António Guterres, lembrando que ambos coincidiram nos cargos de primeiro-ministro e na liderança de agências da ONU.

Irina Bukova também deu os parabéns a Guterres, mostrando-se convicta de que ele será "um excelente novo secretário-geral da ONU".

"Conselho de Segurança da ONU unido sobre a escolha para novo secretário-geral - António Guterres", escreveu há pouco a embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, Samantha Power, acrescentando que essa escolha "foi notavelmente incontestável e incontroversa".

Sem votos contra, António Guterres acabou por receber também o apoio, mesmo que passivo, da Nova Zelândia, país que tinha a ex-primeira-ministra Helen Clark como candidata.

Esta foi a sexta votação à porta fechada dos 15 membros do Conselho de Segurança, mas a primeira em que os cinco permanentes usaram cartões coloridos para se ficar a saber que candidatos são objeto das suas reservas.

Estes votos de desencorajamento dos membros permanentes não correspondem a vetos formais ainda nesta fase do processo eleitoral.

O veto de um membro permanente - EUA, Rússia, China, Reino Unido, França - afasta à partida o candidato que o recebe, mas pode ser ultrapassado em fases posteriores por via negocial.

"O homem certo"

O primeiro-ministro, António Costa, afirma que "tudo indica que a pessoa certa" vai estar "no lugar certo".

Questionado pelos jornalistas sobre qual a sua reação a esta aprovação, o governante disse: "Como português, [reajo] com um enorme orgulho, e como cidadão do mundo, com uma enorme satisfação, porque tudo indica que vamos ter a pessoa certa no lugar certo".

"Acho que à sexta votação já ninguém tem dúvidas que a pessoa melhor colocada para exercer funções de secretário-geral das Nações Unidas é o engenheiro António Guterres", salientou, falando em Lisboa, à margem da inauguração da nova sede da Junta de Freguesia de Marvila.

"Muito bom para o mundo"

O Presidente da República português, Marcelo Rebelo de Sousa, já telefonou a António Guterres para o felicitar pela indicação para secretário-geral das Nações Unidas, realçando que foi aprovado o melhor indicado.

"Aqui é o melhor a ser escolhido. E isso é muito bom para o mundo, para as Nações Unidas e para Portugal", vincou o chefe de Estado, à saída de uma visita a uma associação social em Lisboa.

Marcelo Rebelo de Sousa falava minutos depois de se saber que o antigo primeiro-ministro português António Guterres foi hoje indicado como favorito para ocupar o cargo de secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) pelo Conselho de Segurança à Assembleia-geral, que deverá aprovar o seu nome dentro de alguns dias.

António Guterres venceu as cinco primeiras votações para o cargo, que aconteceram a 21 de julho, 05 de agosto, 29 de agosto, 09 de setembro e 26 de setembro.

Depois de a resolução ser aprovada na quinta-feira pelo Conselho de Segurança, o nome de Guterres segue para aprovação na Assembleia Geral da ONU.

O novo secretário-geral da organização substitui Ban Ki-moon e entra em funções a 01 de janeiro de 2017.

Com Lusa

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG