Guterres com menos um adversário na corrida para a ONU

Christiana Figueres, da Costa Rica, anunciou a desistência da eleição para o cargo de secretário-geral das Nações Unidas.

A secretária executiva da estrutura da ONU para as alterações climáticas, Christiana Figueres, anunciou a sua desistência da corrida à sucessão de Ban Ki-moon.

A decisão da costa-riquenha foi conhecida cerca das 23:00 horas (de Lisboa), num texto que acompanhava a carta dirigida ao presidente da Assembleia Geral da ONU pelo embaixador da Costa Rica, e ocorre três dias após o português António Guterres ter vencido também a quarta votação informal e secreta do Conselho de Segurança para aquele cargo.

Figueres - que na última votação recebeu 10 votos de "desencorajamento" em 15, depois de ter tido 12 na terceira ronda - é a terceira figura a desistir entre as 12 que participaram nas diferentes fases do processo de escolha (audições públicas, debates entre candidatos, quatro votações).

A ex-candidata torna-se também a segunda mulher a desistir de uma corrida em que o critério de género foi apontado como decisivo na escolha, a par da pertença ao grupo regional da Europa de Leste - e que ajuda a explicar a disputa entre as búlgaras Irina Bokova (candidata oficial de Sofia) e Kristalina Georgieva, vice-presidente da Comissão Europeia que pode surgir como candidata surpresa nesta fase adiantada do processo.

Além das quatro votações já realizadas, os 15 membros do Conselho de Segurança votam novamente de forma informal no próximo dia 26. Para 3 de outubro está prevista a primeira votação em que os cinco membros permanentes usarão os cartões coloridos que permitirão saber oficialmente se algum deles veta algum dos candidatos ainda na corrida.

Com a Rússia e a Alemanha a trocarem acusações mútuas sobre o alegado apoio de Berlim a uma candidatura tardia de Kristalina Giorgieva, Figueres disse confiar que, enquanto o Conselho de Segurança e a Assembleia Geral da ONU concluem "este importante processo de seleção" do novo secretário-geral, "os Estados membros se guiem pelo compromisso de dar uma liderança forte às Nações Unidas e ao mundo"

"O Conselho de Segurança tem a responsabilidade de conduzir o processo de seleção" do próximo secretário-geral da ONU "de uma forma ordenada e em tempo oportuno", pelo que para "facilitar o avanço" dessa escolha "informo que retirei hoje a minha candidatura" ao cargo, escreveu Christiana Figueres na carta de renúncia.

A costa-riquenha, além de manifestar gratidão com os que a apoiaram e aos funcionários das Nações Unidas que integram as missões de manutenção da paz, expressou preocupação com "a magnitude do desafio coletivo" que a organização enfrenta.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG