Gripe mais estável, mas mortes ainda acima do esperado

Até ao momento foram internadas 82 pessoas nos cuidados intensivos. Relatório refere que 11 morreram

A atividade gripal manteve, na última semana de 2016, uma tendência estável, mas foram reportados mais casos de doentes internados nas unidades de cuidados intensivos. Segundo o relatório do Instituto Nacional Ricardo Jorge (INSA), entre os dias 26 de dezembro e 1 de janeiro, dos 29 doentes internados em estado grave, 70% tinham mais de 64 anos.

Até ao momento foram internadas 82 pessoas nos cuidados intensivos, das quais apenas 21 estavam vacinadas contra a gripe. O relatório refere que 11 dos doentes internados nestas unidades morreram - três dos quais na última semana - e que foi ativada a reserva estratégica de zanamivir para dois doentes.

A mortalidade por todas as causas voltou a subir, pela segunda semana consecutiva, acima do que seria esperado se fosse uma época sem fenómenos extremos. Graças Freitas, subdiretora-geral da Saúde, explicou na semana passada que o comportamento registado nesta época gripal está em linha com anos anteriores em que o vírus H3N2 foi o dominante - como agora - e esteve mais frio. "O valor médio da temperatura mínima do ar, na semana 52 de 2016, foi de 2,2° C, valor muito inferior ao normal", diz o relatório do INSA.

Centros de saúde com horário alargado

Administração Regional de Saúde do Norte anunciou nesta semana que vai alargar o horário de funcionamento em centros de saúde da região por se registar um "aumento da atividade gripal" e uma maior procura dos serviços de urgência. Segundo a ARS-Norte, o horário de atendimento para as situações agudas que se estão a registar nesta fase do ano passa a ser, nos dias úteis, das 20.00 às 24.00, e aos fins de semana e feriados, das 09.00 às 24.00.

Apelo aos lares para não enviarem idosos

O presidente da Administra- ção Regional de Saúde do Centro (ARSC), José Tereso, apelou nesta semana para que os lares não enviem diretamente os utentes para as urgências sem antes consultarem o médico afeto às instituições. A "esmagadora maioria das pessoas que vão às urgências são idosos" e parte delas "vêm diretamente dos lares sem verem antes médico nenhum". De acordo com o responsável da ARSC, os idosos não devem ser enviados pelos lares "diretamente para as urgências", devendo primeiro ser consultados pelo médico da instituição.

O que fazer quando há sinais de hipotermia

Alguns dos sinais de são a pele muito vermelha e fria, tremores, sonolência, perda de memória e fala lenta. Deve ligar ao 112 e procurar aquecer a pessoa, pondo-a num quarto quente, retirar a roupa molhada, se for o caso, e enrolá-la num cobertor quente. Dê-lhe bebidas quentes.

Como reconhecer queimaduras do frio

Entre os sinais de alerta estão pele invulgarmente cerosa, formigueiro, pele branca ou acinzentada. Submerja a área afetada em água morna ou aqueça a área afetada com calor corporal. Não massaje a área queimada pois pode causar mais danos nem use compressas aquecedoras porque pode queimar a zona afetada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG