Governo confiante de que agências de rating reflitam progressos económicos

Ministério das Finanças está confiante depois de a Standard & Poor's ter decidido manter a nota atribuída a Portugal

O Ministério das Finanças está confiante de que os "progressos económicos" de Portugal serão "brevemente refletidos" na avaliação das agências de 'rating', depois de a Standard & Poor's (S&P) ter decidido esta sexta-feira manter a nota atribuída a Portugal.

A agência de notação financeira Standard & Poor's (S&P) manteve esta sexta-feira o 'rating' atribuído a Portugal em 'BB+', ou 'lixo', com perspetiva estável, mostrando-se preocupada com os riscos da banca e o elevado endividamento público e privado, embora admita que a economia portuguesa recupere de forma moderada no curto prazo.

Depois de destacar os sinais positivos referidos pela agência norte-americana - uma recuperação económica modesta, a consolidação orçamental e a intervenção na Caixa Geral de Depósitos -, o Ministério das Finanças defendeu que "o acumular de sinais de progresso no desempenho da economia são prova de que Portugal tem hoje condições sólidas para crescer de forma sustentável" e, por isso, disse "estar confiante que esta realidade será brevemente refletida na avaliação das agências de 'rating'".

A S&P justificou a manutenção do 'rating' com o elevado endividamento público e privado e com as fraquezas do sistema bancário português, embora admita que o crescimento económico tenha ganho força na segunda metade do ano passado.

Sobre a banca, o Ministério das Finanças afirma que "a estabilização do setor financeiro operada em 2016, e continuada em 2017, é uma condição essencial para restaurar as normais condições de crédito à economia portuguesa e, assim, apoiar o investimento produtivo", salientando que a agência de notação espera "a diminuição da dívida pública e dos riscos associados ao setor financeiro".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG