Greve "nacional" e manifestações dia 18 de novembro

Objetivo é permitir que os funcionários públicos possam participar na manifestação programada para esse dia

A Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais entregou um pré-aviso de greve para 18 de novembro, de forma a permitir que os funcionários públicos possam participar na manifestação agendada para esse dia.

A Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública aprovou, em plenário, uma jornada de luta nacional para dia 18 de novembro para reivindicar, entre outros assuntos, aumentos salariais de 4% (garantindo um aumento mínimo de 50 euros) e progressão nas carreiras.

O protesto de 18 de novembro inclui todos os trabalhadores que compõem a Frente Comum, ou seja, todos os 35 sindicatos da administração pública.

De acordo com o pré-aviso, serão assegurados os serviços mínimos previstos na lei, bem como os tratamentos de quimioterapia e hemodiálise já anteriormente iniciados.

Relativamente à segurança e manutenção de instalações, "nos serviços que funcionem ininterruptamente e que correspondam a necessidades sociais impreteríveis, os serviços necessários à segurança e manutenção do equipamento e instalações serão assegurados no âmbito dos serviços mínimos, sempre que tal se justifique", refere o pré-aviso.

O Sindicato dos Trabalhadores Consulares e das Missões Diplomáticas (STCMD), que integra a federação, fez entretanto saber que não apresentará pré-aviso próprio nem apelará à greve.

"Estão abertos caminhos de diálogo que até há pouco não existiam e que pretendemos percorrer até à exaustão", refere a estrutura em comunicado, referindo que no final de novembro fará um balanço da atual governação.

O STCMD reuniu-se na quarta-feira com o Secretário de Estado das Comunidades para discutir duas questões específicas, "a carga horária dos colegas Assistentes de Residência e a fixação da tabela salarial do Brasil em euros".

O sindicato esclarece, no entanto, que uma vez que o pré-aviso da federação abrange igualmente os serviços periféricos externos do Ministério dos Negócios Estrangeiros, os trabalhadores podem aderir à greve de 18 de novembro, a coberto daquele pré-aviso.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG