"Forças de segurança devem melhorar o patrulhamento online para detetar e prevenir crimes"

Capitão na Guardia Civil espanhola, Adriana María Tostón Díez está atualmente na Europol, organismo europeu de coordenação das polícias.

No final da semana passada, Adriana Díez esteve em Lisboa para uma conferência internacional, em que falou sobre a importâncias das investigações online, o cyber-patrolling, para a deteção, prevenção e investigação de crimes, uma área ainda pouco explorada, mas que a especialista considera ser da máxima importância, já que o espaço virtual é hoje o palco para uma grande parte das atividades ilícitas.

Por que razão é que atualmente é importante desenvolver a prática de patrulhamento online, o ciber-patrolling?

Desde sempre que é importante detetar crimes. Há uns anos, era no espaço físico que a maioria dos crimes ocorria. Agora temos de nos adaptar à nova realidade, a internet, a aberta e a chamada darknet. Para ser possível detetar e prevenir crimes neste novo ambiente, o patrulhamento online é o caminho que as agências e as polícias devem seguir. É extremamente importante manter e aumentar esta atividade de forma a garantir a segurança dos cidadãos.

Uma recente operação levada a cabo pela polícia espanhola contra a difusão de pornografia infantil teve repercussões noutros países europeus, levando a que a Europol coordenasse a investigação. É este o futuro da investigação criminal: uma coordenação europeia?

Já no passado houve várias operações contra a pornografia de menores coordenadas a nível europeu pela Europol ou internacional pela Interpol. No fundo, trata-se do mesmo, mas precisamos de usar novas ferramentas para detetar, investigar e acusar. Ainda hoje, os suspeitos usam o sistema peer-to-peer para contactar entre si e trocar material. Temos de estar atentos a isto.

Um departamento de cyber-patrolling deve ter quantas pessoas?

Os suficientes recursos humanos. Na maioria dos países não há unidades exclusivamente dedicadas a esta matéria, apesar de já estar suficientemente demonstrado os seus benefícios. De acordo com a experiência recolhida em alguns países europeus e nos EUA, verifica-se que quem tem implementado o modelo de cyber-patrolling tem melhores resultados.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG