Ex-administrador da PT está detido por fortes indícios de branqueamento de capitais

Tiago Guerra foi informado por um procurador e um juiz dos motivos por que estava a ser detido, no dia 18 de outubro de 2014. É suspeito de ter desviado 900 mil dólares do Estado timorense.

Ex-administrador da PT, empresa que deixou em 2010, Tiago Guerra está em prisão preventiva há cinco meses, em Timor, mas a sua detenção, no dia 18 de outubro de 2014, no aeroporto de Díli, cumpriu os requisitos formais, garantiram fontes judiciais conhecedoras do caso.

Tiago Guerra está em prisão preventiva por haver fortes indícios de que terá praticado o crime de branqueamento de capitais, indícios esses que lhe foram comunicados na altura da detenção por um procurador. A investigação foi alertada por comunicações bancárias que notificaram saída de somas avultadas de Timor através de contas de Tiago Guerra e da sua mulher, cidadã chinesa. No total, o alegado desvio de fundos timorenses terá chegado ao total de 900 mil dólares.

O Ministério Público timorense ainda não formalizou a acusação contra Tiago Guerra mas, segundo adiantaram as mesmas fontes, está dentro dos prazos legais previstos para o fazer (seis meses a um ano para o encerramento do inquérito, dependendo dos crimes).

A detenção de Tiago Guerra aconteceu no aeroporto de Díli, momento em que ele, a sua mulher e os dois filhos se preparavam para sair de Timor Leste. A mulher de Tiago Guerra ficou com o passaporte confiscado e interdita de sair de Timor precisamente por uma das contas bancárias suspeitas para a canalização de verbas ser a sua. Os dois filhos do casal já estão em Portugal com os avós paternos.

O ex-administrador da PT, que foi também assessor de um membro do governo timorense e consultor do Banco Mundial, é suspeito de ser uma espécie de "testa de ferro" de Bobby Boye, um norte-americano de ascendência nigeriana, consultor financeiro na área do petróleo, que terá desviado 3,5 milhões de dólares (2,8 milhões de euros) dos cofres timorenses, como o DN noticiou a 7 de novembro de 2014.

Bobby Boye fugiu de Timor, foi detido pelo FBI nos Estados Unidos, onde se encontra em prisão domiciliária, a aguardar julgamento. A investigação terá chegado a registos de contactos entre Tiago Guerra e Bobby Boye e a uma alegada ligação cúmplice entre os dois.

A família de Tiago Guerra lançou esta semana uma campanha nas redes sociais, denunciando as condições da prisão onde se encontra o português. Justice For Tiago Guerra é o nome da campanha que está a decorrer no Facebook e no Wordpress.

(Notícia retificada às 17:30 - Tiago Guerra foi administrador da PT mas deixou os quadros da empresa em 2010)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG