Ex-superespião entrega provas das práticas ilegais nas secretas

Juízes que vão julgar Jorge Silva Carvalho têm um envelope lacrado, entregue pelo próprio, com dados que provam as ilegalidades no funcionamento dos serviços de informação.

Tudo o que Jorge Silva Carvalho alegou sobre o funcionamento dos serviços de informações - e a prática de estes recorrerem a faturação detalhada dos telemóveis, apesar de legalmente impedidos - está demonstrado no interior de um envelope lacrado entregue aos juízes que o vão julgar por crimes de corrupção, violação do segredo de Estado, acesso ilegítimo a dados pessoais e abuso de poder.

Nesse envelope, o ex-diretor do SIED, segundo apurou o DN, pede o levantamento do segredo de Estado para o tribunal ter acesso a um conjunto concreto de documentos que estão no arquivo das secretas e mostram que, no passado, também houve acesso a faturação detalhada de telemóveis. De acordo com informações recolhidas pelo DN, e sobretudo no que diz respeito ao acesso a faturação detalhada do jornalista Nuno Simas, o antigo diretor do SIED deu indicação ao tribunal de outras operações dos serviços de informações em que houve o recurso a registos de telemóveis através de fontes dos serviços de informações nas operadoras de telecomunicações.

Leia mais na edição impressa do e-Paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG