Estaleiros de Viana venderam mais 2271 toneladas de aço

Operação rendeu mais de 740 mil euros, elevando para 14,5 mil toneladas o aço alienado pelos estaleiros de Viana pelo valor de 5,3 milhões de euros.

As últimas 2271 toneladas de chapas de aço na posse dos Estaleiros navais de Viana do Castelo (ENVC) foram vendidas esta quinta-feira, tendo rendido pouco mais de 740 mil euros.

A informação foi divulgada ao DN pela Empordef, a holding estatal das indústrias de Defesa e em cuja sede teve lugar o leilão.

No total, as 14 507 toneladas de aço alienadas nos últimos três meses renderam 5,3 milhões de euros e que está "acima da estimativa inicial" feita em novembro de 2017.

A empresa ENVC, que está em processo de liquidação, fica ainda com 2125 toneladas de perfis de aço para a indústria naval.

O montante obtido com a venda do aço - num total de 15 700 toneladas - "permite amortizar, ainda que parcialmente, empréstimos contraídos" pelos ENVC junto da Empordef.

Esse aço tinha sido adquirido para a construção dos dois navios asfalteiros destinados à empresa petrolífera da Venezuela, que acabou por não concretizar o negócio e levou o Governo a denunciar o contrato em meados de 2017.

Com a conclusão da venda do aço e subsequente liquidação dos ENVC, que permite resolver o diferendo com a Comissão Europeia em torno das ajudas de Estado a devolver pela empresa ao acionista único, também a Empordef entra na sua fase final de extinção.

Registe-se que a comissão liquidatária da Empordef, presidida por João Pedro Martins, tem desde há alguns dias um novo administrador - Paulo Santana, da Parpública - nomeado pela Direção-Geral do Tesouro.

Continua por se saber quem assumirá a gestão das participações do Estado nas indústrias de Defesa, podendo ser as Finanças ou, por exemplo, a empresa idD, cujos estatutos permitem assumir o papel da Empordef.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG