"O problema do PSD não é o líder, é a matriz"

Ferraz da Costa defende que Portugal precisava de alguém liberal como Donald Trump.

Que avaliação faz desta coligação das esquerdas no Parlamento, que tem permitido uma paz social, com poucas greves, pouca contestação nas ruas? É um dos fatores positivos a tirar desta coligação das esquerdas no Parlamento?

Ah, olhe, para quem anda de transportes públicos, é com certeza. Porque durante os três anos anteriores, era um inferno para as pessoas se deslocarem, porque estavam sempre em greve. Eu acho que é muito difícil a direita voltar ao poder de uma forma eficaz se não houver uma alteração da lei da greve. Porque, se não, o voto significa pouco, porque pode ser contrariado na rua permanentemente.

Mandam os sindicatos?

Sim.

Mas os partidos de esquerda continuam, precisamente, a subir nas sondagens e a direita a descer. Há um problema de liderança, na oposição? Passos Coelho estará muito estigmatizado pelo passado, como disse Rui Rio?

Acredito que sim. Eu acho que o Dr. Passos Coelho - por cujo trabalho eu tenho muito respeito, porque viveu um período muito difícil e foi um fator de segurança e de estabilidade para a economia portuguesa e criou muita confiança nos credores que nos continuaram a financiar - ficou muito associado aos aspetos mais desagradáveis. Principalmente por uma narrativa política que se tem construído e que, a mim, me parece completamente falsa. É evidente que o aperto financeiro a que nós chegámos levantou dificuldades a muitas empresas, mas nós conseguimos, em termos do aumento de exportações, durante esse período, coisas extraordinárias.

E Rui Rio, seria uma boa solução?

Eu acho que o país precisava de soluções muito mais liberais, em termos económicos, do que aquilo que os sociais-democratas podem fornecer. Não há condições de crescimento de emprego e de receitas de Segurança Social para satisfazer as ambições de um programa clássico social-democrata. Portanto, não me parece que seja um problema de mudar de líder: se não mudar a matriz, é difícil.

Descontando a personalidade de quem acabou de ser eleito presidente dos Estados Unidos da América, Portugal precisava de alguém que encarnasse esse estilo liberal (estou a falar apenas da parte económica)...

Ah, por mim, pode falar de todas, que eu já não tenho idade para ser virgem ofendida!

... que representa Donald Trump?

Eu acho que precisava. E aquilo que está a acontecer agora, para mim que sou mais velho, são reações muito parecidas às que houve quando o Ronald Reagan ganhou as eleições em 1980 e tal. Quando ele foi reeleito, o Expresso titulava que se ouvia chorar nos Estados Unidos e ele teve uma vitória eleitoral estrondosa. Ou seja, a Europa tenta sempre construir um...

E a América teve um grande período de crescimento económico.

Brutal. Brutal! Eu gostaria de acreditar - e era bom para todos se assim fosse - que Trump vai ter muito sucesso na economia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG