Duas bebés morrem com suspeitas de meningite. DGS recusa surto

Vítimas tinham 16 e 17 meses e viviam no distrito de Setúbal

Duas bebés, com 16 e 17 meses, residentes no distrito de Setúbal, morreram num intervalo de 24 horas, com indícios de meningite. O delegado regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Mário Durval, confirmou ao Correio da Manhã que "as crianças morreram com septicemia, uma infeção generalizada" e que "tudo aponta para que tenha sido provocada por meningite fulminante".

Este mesmo responsável afirmou que ainda estão a decorrer análises para confirmar, mas a diretora-geral de Saúde, Graça Freitas, disse à Antena 1 que não há razões para suspeitar de um surto.

Graça Freitas afirmou que as crianças, uma residente no Pinhal Novo e outra em Setúbal, estavam vacinadas e que "os agentes que terão provocado estas infeções não terão a ver com os que estão nas vacinas". "Há muitas outras bactérias que nos podem invadir e infelizmente terá sido o que aconteceu a estas crianças", disse, realçando ser fundamental aguardar pelos resultados das análises, que revelarão qual a estirpe em causa.

"Não é um surto, não é uma epidemia, não é um contágio", assegurou para tranquilizar outras famílias, recomendado que levem uma vida normal.

Uma das crianças morreu na noite de dia 28, a outra durante o dia de ontem, dia 29. Ambas foram assistidas no Hospital de Setúbal, tendo sido transferidas para hospitais de Lisboa, onde vieira a morrer.

Exclusivos