Dono do Grupo Lena suspeito de transferir milhões para contas suíças de Santos Silva

Joaquim Barroca foi identificado como sendo o autor das transferências de dinheiro para as contas de Carlos Santos Silva, o amigo de José Sócrates

O homem que terá efetuado várias transferências de milhões de euros para as contas bancárias na Suíça de Carlos Santos Silva, arguido na Operação Marquês, processo que envolve também José Sócrates, já terá sido identificado pelo Ministério Público. Segundo informações recolhidas pelo DN, trata-se de Joaquim Barroca, um dos administradores e donos do grupo Lena.

Após a análise dos dados bancários enviados pelas autoridades helvéticas, o procurador Rosário Teixeira terá identificado, não só a origem do dinheiro, mas também o período no qual se verificaram transferências de muitos milhões de euros: de 2007 a 2009 - ou seja, durante os mandatos de José Sócrates como primeiro-ministro.

Leia mais pormenores na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG