Doentes com legionela não foram infetados num único local público

O caso identificado no Porto, de um doente que esteve em Vila Franca de Xira no dia 18 de outubro, pode funcionar como "caso índice".

As autoridades de saúde continuam à procura da origem do surto da Doença dos Legionários, mas de uma coisa têm a certeza: os 180 doentes não foram infetados todos no mesmo local.

"Percebemos logo que não foram todas infetadas num único local público, como um centro comercial ou uma festa, porque não estiveram no mesmo sítio", explica a subdirectora-geral da Saúde, Graça Freitas.

Quando o surto foi detetado, uma vez que se trata de uma doença de declaração obrigatória, os delegados de saúde questionaram imediatamente os doentes e os familiares para saber onde vivem, trabalham e perceber o que os vários casos têm em comum, explica a médica. Até agora, ainda não encontraram a ligação.

A única ligação clara entre todos os casos detetados no país, de Castelo Branco ao Porto, passando pelo Barreiro, é a origem em Vila Franca de Xira. Mas dentro do concelho, há pessoas de várias freguesias.

O caso identificado no Porto, de um doente que esteve em Vila Franca de Xira no dia 18 de outubro, pode funcionar como "caso índice" e ajudar as autoridades de saúde a perceber a origem do surto, explicou a subdiretora-geral da Saúde, em declarações à SIC. Graça Freitas acrescentou que já têm algumas pistas, mas que precisam de confirmação laboratorial para ter certezas.

Mário Durval, da Associação de Médicos de Saúde Pública, explica que as condições meteorológicas das últimas semanas podem ter favorecido a propagação da bactéria, uma vez que se registaram dias de calor e humidade, depois de um setembro muito chuvoso.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG