Deficientes, grávidas, idosos passam a ter sempre prioridade

Norma aplicada aos serviços públicos passa a vigorar também nos privados

Já não é apenas nos serviços públicos que os deficientes, grávidas, idosos ou acompanhantes de crianças de colo têm prioridade. Em reunião de Conselho de Ministros realizada hoje essa norma foi alargada aos estabelecimentos privados.

"Foi decidido estender a obrigatoriedade de prestação de atendimento prioritário às pessoas com deficiência ou incapacidade, pessoas idosas, grávidas e pessoas acompanhadas de crianças de colo a todas as entidades públicas e privadas que prestem atendimento presencial ao público, sendo estabelecido um quadro contraordenacional em caso de incumprimento", lê-se no ponto 6 do comunicado do Conselho de Ministros.

O diploma entra em vigor dentro de quatro meses.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG