Cosmos diz que só organizou viagens ao Euro, não as pagou

Novo inquérito investiga viagens, refeições e bilhetes para o Euro2016, confirma PGR

A agência de viagens Cosmos esclareceu esta quinta-feira que se limitou a organizar pacotes de viagens ao Euro2016, não sabendo se serviram ou não para levar titulares de cargos políticos a assistir a jogos daquele campeonato. A garantia foi dada pela administração da empresa, num comunicado citado pelo SIC, em que a Cosmos se escusou a confirmar quais foram as empresas que compraram os pacotes do Euro2016,

A reação da agência, propriedade da Olivedesportos de Joaquim de Oliveira, surge um dia depois de ter sido noticiado, pela estação de Carnaxide, estar em curso uma investigação paralela ao caso GalpGate a correr no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP).

O novo processo estará a investigar viagens de deputados e autarcas ao Euro. Numa nota enviada à imprensa, a Procuradoria-Geral da República já confirmou haver uma nova investigação e estar a mesma relacionada com o Europeu, mas não concretizou se os visados estão ou não ligados à política. "Confirma-se a existência de outro inquérito onde estão em investigação factos relacionados com viagens, refeições e bilhetes para o Euro2016", lia-se na nota.

No ano passado, quando estalou a polémica em torno do GalpGate - que já levou à demissão de três secretários de Estado -, foram também envolvidos os nomes de Luís Montenegro e Hugo Soares, atuais presidente e vice-presidente da bancada parlamentar do PSD. Esta quinta-feira, a notícia de nova investigação em torno do Euro, já levou Luís Montenegro a reagir. O líder parlamentar disse à SIC manter tudo o que disse há um ano - que foi ver a final do Euro, mas pagou a viagem do seu bolso - e que não tem conhecimento de qualquer processo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG