Chefes máximos das polícias avaliam visita do Papa Francisco

O balanço da criminalidade dos primeiros nove meses do ano está também em análise na reunião, esta tarde, no Gabinete Coordenador de Segurança

A visita do Papa Francisco a Portugal, em maio do próximo ano, é um dos pontos da agenda na reunião que está a decorrer esta tarde na sede do Sistema de Segurança Interna (SSI). Todos os chefes máximos das forças e serviços de segurança, que constituem o Gabinete Coordenador de Segurança (GCS), fizeram as suas avaliações acerca das necessidades de segurança para esta visita, que terá o Santuário de Fátima como ponto central, e vão partilhá-las para o planeamento da operação que envolve várias polícias e os serviços de informações.

A reunião, que começou às 15.00, tem também na agenda um parecer do SSI sobre a Lei de Programação de Infraestruturas e Equipamentos para as polícias, que o governo entregou ao parlamento, bem como a análise da evolução da criminalidade nos três primeiros trimestres do ano (até final de setembro).

No primeiro semestre do ano, a PJ, PSP e GNR registaram 158 600 participações de crimes, o que representou uma descida de 8% em relação ao período homólogo de 2015.

Na área da GNR houve a maior diminuição (-14,1%). Na PSP houve uma redução de 3,4% de participações e na PJ um aumento de 1,4%. Os crimes de burla informática e nas comunicações, burla com fraude bancária e burlas em geral, foram os crimes com o maior crescimento de participações nas três polícias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG