Detido suspeito de furto de chifres de rinoceronte

Um cidadão irlandês, de 44 anos, foi detido por alegadamente ter participado no furto de dois chifres de rinoceronte no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, em 2011, disse hoje uma fonte da Polícia Judiciária (PJ).

Oriundo da Irlanda, o detido "executou ou ajudou a executar aquele crime", adiantou a fonte à agência Lusa, admitindo que este "não será o único" presumível autor do crime.

A detenção do suspeito, na Alemanha, ocorreu "no âmbito da investigação ao furto de dois chifres de rinoceronte, de elevado valor", perpetrado naquele museu de Coimbra, em abril de 2011, depois de a Diretoria do Centro da PJ ter procedido à sua identificação.

"Tendo sido emitido um mandado de detenção europeu, pela autoridade judiciária competente, contra esse suspeito, este viria a ser localizado e detido na Alemanha, país de onde foi extraditado para Portugal", refere uma nota da PJ.

Detido na Alemanha, no dia 15 de fevereiro, o presumível traficante de chifres de rinoceronte foi extraditado para Portugal no dia 04 de março, tendo já sido ouvido no Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Lisboa, disse à Lusa a fonte da PJ.

Como medida de coação, o TIC impôs-lhe a obrigação de se apresentar diariamente às autoridades e a proibição de se ausentar da área da sua residência sem autorização.

O arguido está alojado numa unidade residencial da zona de Lisboa, enquanto aguarda os desenvolvimentos do processo, segundo a fonte.

Há dois anos, a Universidade de Coimbra revelou que dois chifres de rinoceronte, do século XVIII, foram furtados do Museu da Ciência, suspeitando que as peças se destinassem ao mercado negro asiático.

Na ocasião, o reitor, João Gabriel Silva, disse que os assaltantes, em pleno dia, arrombaram uma porta para se apropriarem dos chifres, que estavam numa sala só acessível ao público através de visitas guiadas programadas.

No mercado negro asiático, o preço do quilo de chifre de rinoceronte atinge os 40 a 50 mil euros, revelou na altura o diretor do museu, Paulo Gama da Mota.

Estes chifres são utilizados na produção de poções alegadamente com funções afrodisíacas.

Em setembro de 2011, a PJ deteve dois australianos, pai e filho, de 63 e 31 anos, suspeitos de pertencerem a uma organização criminosa de recetação, furto e contrabando de chifres de rinoceronte.

Detidos no aeroporto de Lisboa, quando se preparavam para embarcar num voo para a Irlanda, os dois homens tinham na sua posse vários chifres de rinoceronte, escondidos nas malas, que foram depois exibidos aos jornalistas, na PJ de Coimbra.

Nessa altura, a Polícia Judiciária disse que os dois australianos detidos por alegado tráfico de chifres de rinoceronte integram uma "rede internacional de grande dimensão", que utiliza Portugal como "placa giratória" desta atividade ilegal.

A fonte da PJ contactada hoje pela Lusa reiterou que o arguido irlandês e outros suspeitos de envolvimento nesta atividade criminosa poderão integrar uma rede internacional que "tem como ponto comum um recetador" na China.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG