Centro de Saúde evacuado após ameaça de bomba já retomou atividade

Motivo apresentado pelo autor da ameaça de bomba fora a desmarcação de várias consultas devido à ausência de uma médica por baixa.

O Centro de Saúde de Oliveira de Azeméis, evacuado após uma ameaça de bomba motivada pela desmarcação de consultas, retomou a sua atividade às 13:15 de hoje, revelou a GNR, que não encontrou qualquer engenho explosivo no local.

Em causa está a unidade de São Roque, onde o alerta foi dado por volta das 10:30 e obrigou a que saíssem do recinto todos os seus funcionários e utentes, implicando também a evacuação do edifício contíguo da Junta de Freguesia e a intervenção de uma brigada de inativação de explosivos.

"Não passou tudo de uma ameaça", garantiu à Lusa o tenente Gonçalo Ribeiro, do comando distrital de Aveiro da GNR, acrescentando que "foi feita uma busca a todo o edifício e nada foi encontrado".

Após a análise efetuada ao imóvel pela brigada de desativação de explosivos dessa força policial, os funcionários do centro de saúde foram reconduzidos para os seus postos de trabalho e procederam também eles a uma busca.

"Pedimos-lhes que avaliassem se haveria no local algo estranho, diferente do habitual, mas também não houve registo de nada, pelo que o centro de saúde estará por esta altura a retomar a sua atividade normal", afirmou o tenente da GNR às 14:00.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis já explicara ao fim da manhã à Lusa que o motivo apresentado pelo autor da ameaça de bomba fora a desmarcação de várias consultas devido à ausência de uma médica por baixa.

"[O indivíduo] ligou para lá a dizer que, se as consultas não fossem remarcadas até ao final do dia de hoje, fazia explodir o dispositivo que deixara no centro de saúde", contou Paulo Vitória.

Nem o sujeito nem o telefone que utilizou foram ainda identificados, mas o tenente Gonçalo Ribeiro assegura que o incidente será agora "sujeito às devidas diligências de investigação, para que se possa apurar quem foi o autor da ameaça".

A Lusa contactou a direção do Agrupamento de Centros de Saúde do Entre Douro e Vouga II Aveiro Norte, assim como a administração da Administração Regional de Saúde do Norte para saber quantas consultas foram hoje desmarcadas no Centro de Saúde de São Roque, quantos utentes foram afetados pela medida e quanto tempo terão esses que esperar até nova remarcação, mas até ao momento nenhuma dessas entidades forneceu os dados solicitados.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG