CDS indica Adriano Moreira para o Conselho de Estado

O ex-líder do CDS foi a personalidade escolhida por Paulo Portas para representar o partido

O CDS indicou Adriano Moreira, ex-líder do CDS, para representar o partido no Conselho de Estado. Para Paulo Portas, "o professor Adriano Moreira é um dos mais persistentes e profundos defensores do humanismo cristão em Portugal".

Fonte centrista acrescenta que a "corrente doutrinária" defendida pelo CDS-PP "não poderia ficar melhor representada" no Conselho de Estado. A escolha de Adriano Moreira representa "uma homenagem à sabedoria" do escolhido e é também "um tributo ao seu sentido de Estado".

Adriano Moreira considerou "natural" a indicação do seu nome para integrar a lista que o seu partido apresentará com o PSD ao Conselho de Estado.

"Que o CDS me procure é natural, eu fui presidente do partido e nunca saí do CDS", começou por explicar Adriano Moreira numa curta declaração à agência Lusa. Sobre a função que lhe será atribuída no órgão de aconselhamento do chefe de Estado, afirmou que "é sobretudo de conselho" e desvalorizou a importância da indicação do seu nome. "Não achei que fosse assim um grande acontecimento nacional", disse.

O professor na área das relações internacionais manifestou a sua disponibilidade para colaborar, reiterando que "o país precisa do esforço de toda a gente neste momento".

No dia 18, sexta-feira, o Parlamento elegerá cinco personalidades para o Conselho de Estado. Serão apresentadas duas listas - uma da esquerda parlamentar e outra da coligação PSD/CDS - e os mandatos serão apurados pelo método de Hondt.

Se a disciplina de voto funcionar (a votação é secreta), a esquerda terá três eleitos e a direita dois. Os eleitos da esquerda serão Carlos César (PS), Francisco Louçã (Bloco de Esquerda) e Domingos Abrantes (PCP) enquanto os da direita serão Pinto Balsemão (PSD) e Adriano Moreira (CDS).

Com Lusa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG