CDS adianta que vota contra Orçamento: "Este não é o nosso caminho"

Nuno Magalhães diz após reunião com Mário Centeno que os centristas não vão dar luz verde a "aumento de impostos sobre a classe média"

Para o CDS, "não há dúvidas" quanto à posição que o partido vai assumir quando o Orçamento do Estado (OE) para este ano for apreciado no Parlamento: voto contra. Quem o adiantou foi o líder parlamentar dos centristas, Nuno Magalhães, após uma reunião com o ministro das Finanças, Mário Centeno.

"Não há dúvidas quanto a essa matéria porque este não é o nosso caminho", afirmou Magalhães acerca do sentido de voto do CDS, sublinhando que a bancada a que preside não compactuará com medidas fiscais que "afetem a classe média".

Ladeado por Cecília Meireles e João Almeida, Magalhães insistiu na tese do gradualismo para a recuperação de rendimentos, conforme a coligação PSD-CDS advogava, para criticar a opção mais rápida - devolução de salários na função pública e eliminação da sobretaxa de IRS, por exemplo - tomada pelo Executivo socialista.

Numa altura em que o Governo PS ainda ultima o OE com a Comissão Europeia, o dirigente centrista disse, contudo, que não recebeu de Centeno qualquer garantia sobre os valores do défice (nominal e estrutural), mas ainda deixou a farpa ao referir que "o esboço [orçamental] está a ser dinamitado em Bruxelas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG