Catarina Martins jura que não dará "nem mais um passo atrás"

Líder do Bloco de Esquerda esteve no desfile do 1.º de Maio da CGTP

A porta-voz do BE, Catarina Martins, afirmou que hoje é a primeira celebração do 1.º de Maio dos últimos anos sem perda de direitos, constituindo também o momento de afirmar que "nem mais um passo atrás".

"Neste momento, vivemos num país de avanço, de dizer que nem mais um passo atrás. Queremos mais: combater a precariedade, mais emprego, mais direitos no trabalho, mais respeito pelo trabalho", afirmou Catarina Martins aos jornalistas depois de cumprimentar o secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, no desfile do 1.º de Maio, em Lisboa.

A porta-voz do Bloco de Esquerda sublinhou que "depois de muitos anos em que quem vive do trabalho perdeu sempre", hoje celebra-se o primeiro 1.º de Maio em que o salário mínimo nacional aumentou, em que os funcionários públicos viram os seus salários respeitados, em que os impostos sobre o trabalho desceram".

"Isto é importante mas há muito por fazer. Em Portugal hoje a precariedade é a regra do trabalho e quem está precário é quem tem medo no local de trabalho e não está a viver a democracia como deve viver", defendeu.

Catarina Martins falava aos jornalistas acompanhada das deputadas Joana Mortágua e Isabel Pires.

"Quem está no desemprego, e há tanta gente que está no desemprego, vê negada as possibilidades de vida. Mais do que celebrar o 1.º de Maio, o 1.º de Maio é um dia em que se luta, luta-se pela dignidade, pelos direitos de quem trabalha", acrescentou.

A dirigente bloquista frisou ainda que nunca como nos últimos anos "desceram tanto os direitos e o rendimento do trabalho", ao mesmo tempo que aumentavam as desigualdades "e os ricos ficaram tão ricos, à custa de quem trabalha".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG