Câmara de Lisboa avalia criação de novo hotel junto ao Aeroporto da Portela

Pedido de licenciamento foi feito pela empresa Hoti Hóteis, dona do Tryp Lisboa Aeroporto

A Câmara de Lisboa discute na próxima terça-feira a criação de um novo hotel de três estrelas com 173 quartos junto ao Aeroporto da Portela, num edifício atualmente ocupado por escritórios.

Na proposta assinada pelo vereador do Urbanismo da autarquia, Manuel Salgado, e à qual a agência Lusa teve hoje acesso, em causa está um pedido de licenciamento feito em outubro passado pela empresa Hoti Hotéis (que já tem detém o Tryp Lisboa Aeroporto, de quatro estrelas), para a instalação de um "equipamento hoteleiro de três estrelas, com 173 unidades de alojamento, e a capacidade máxima de 346 utentes".

"O projeto de arquitetura apresentado propõe a ampliação da área do piso zero, com o avanço dos planos de fachada, alinhando-os com os dos pisos superiores, e o aumento do número de pisos, passando o edifício a assumir cinco pisos acima do solo e um piso técnico na cobertura", explica Manuel Salgado no documento.

Dadas as alterações, o edifício - localizado no número 125 da Rua C do Aeroporto Internacional de Lisboa - passará a ter uma área bruta de construção de 7.782 metros quadrados e uma altura máxima de 21,98 metros.

Ao mesmo tempo, prevê-se a criação de 49 lugares de estacionamento.

De acordo com o memorando anexo à proposta, tal intervenção "consiste na ampliação em altura de um edifício de escritórios existente no complexo aeroportuário do aeroporto".

Foram ouvidas entidades como a ANA - Aeroportos de Portugal (que gere o aeroporto), a Direção-Geral de Recursos da Defesa Nacional (nos termos da servidão militar) e o Turismo de Portugal, que emitiram pareceres favoráveis.

Porém, para que esta operação urbanística se concretize, a ANA terá de atribuir à empresa hoteleira uma licença de ocupação e exploração com construção, segundo o parecer da Direção Municipal de Urbanismo anexo à proposta.

O parecer salienta, ainda, "a urgência demonstrada pela entidade requerente e pelo Turismo de Portugal em reforçar a capacidade de alojamento da cidade para acolher os participantes do Web Summit 2016", evento de tecnologia que decorre em novembro em Lisboa.

Na reunião privada de terça-feira, os vereadores vão também debater a reabilitação da antiga gare do Arco do Cego, onde vai nascer o Centro de Investigação Tecnológica e Científica do Instituto Superior Técnico (Técnico Learning Center), e um posto de socorro avançado do Regimento de Sapadores Bombeiros.

A proposta, assinada por Manuel Salgado, refere que o centro de investigação será dotado de espaço multiúsos, área de estudo, laboratórios de tecnologias de informação e de um núcleo e apoio logístico.

Já o posto dos bombeiros, que substitui o quartel da Avenida Defensores de Chaves, terá garagem, gabinetes, refeitório e cozinha, camaratas, balneários e uma área social e técnica.

O executivo municipal vai ainda discutir a requalificação da área envolvente ao entroncamento entre a Rua da República e a Rua Dr. Pereira Bernardes (freguesia de Benfica), operação que visa criar mais espaço pedonal e reordenar a circulação automóvel e o estacionamento.

A proposta seguirá depois para discussão pública.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG