Azeredo Lopes escolhe uma mulher civil para chefe de gabinete

Financeira vai substituir tenente-general Martins Pereira, futuro Adjunto para o Planeamento e Coordenação do Estado-Maior General das Forças Armadas.

Azeredo Lopes vai tornar-se o segundo ministro da Defesa a escolher uma civil para o cargo de chefe de gabinete, substituindo o oficial general que deixa o cargo após ser promovido a três estrelas, soube esta terça-feira o DN.

O Ministério da Defesa confirmou a escolha de Maria João Mendes, adjunta financeira de Azeredo Lopes desde janeiro de 2016 e antiga vereadora com esse pelouro na Câmara Municipal de Lisboa sob a presidência de António Costa.

Na base da decisão de Azeredo Lopes está a promoção do major-general Martins Pereira a tenente-general de Martins Pereira, o qual vai ser o futuro Adjunto para o Planeamento e Coordenação no Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA).

Anteriormente, dos 24 ministros da Defesa - dois militares e 22 civis - nos governos constitucionais pós 1976 só Paulo Portas e Augusto Santos Silva tinham escolhidos civis para chefes de gabinete, sendo que o segundo também nomeou uma mulher.

Nos três casos, a escolha foi feita após terem iniciado funções com um militar como chefe de gabinete.

Exclusivos