Medina quer gerir escolas básicas e secundárias de Lisboa

De entre as medidas do programa eleitoral do PS consiste a "escola a tempo inteiro" com atividades gratuitas para os alunos do segundo e terceiro ciclos

O candidato socialista a presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, reivindicou esta terça-feira a gestão municipal das escolas básicas do segundo e terceiro ciclos, para as requalificar, estimando um investimento de 30 milhões de euros em 30 estabelecimentos.

A nossa proposta é assumirmos as responsabilidades pelas escolas do segundo e terceiro ciclo e pelas escolas secundárias, precisamente as que têm mais dificuldades de infraestruturas, que estão mais degradadas e nas quais o Estado central não investiu o que devia para as recuperar

O candidato, que falava no final de uma visita à escola básica Mestre Querubim Lapa, em Campolide, acrescentou que a autarquia já iniciou "a negociação com o Ministério da Educação para fazer essa requalificação".

"Está estimada uma intervenção nas principais escolas da cidade [perto de 30] de cerca de 30 milhões de euros que o município irá assumir em moldes semelhantes àquele que assumimos com o Ministério da Saúde, em que a Câmara avança com os recursos" e depois o Estado paga uma renda ao município, referiu Fernando Medina.

Outra das medidas do programa eleitoral do PS consiste na "escola a tempo inteiro", com atividades complementares gratuitas para os alunos do segundo e terceiro ciclos.

Segundo Fernando Medina, isso gera "dois grandes benefícios", desde logo "um direto e financeiro às famílias, que deixarão de investir o dinheiro em ATL ou outras instituições particulares" e outro "para a justiça e para a vida futura na cidade de Lisboa, já que todas as crianças passarão a ter o melhor acompanhamento na escola pública".

Achamos que isso deve ser responsabilidade nossa, não deve ser do Estado

A requalificação do estabelecimento esta terça-feira visitado foi feita ao abrigo do programa municipal Escola Nova, iniciado em 2008 e que, segundo Fernando Medina, já permitiu a reabilitação de mais de 100 escolas do primeiro ciclo (apesar de se preverem mais).

Concluídas ou em obra estão 35 intervenções num valor superior a 65 milhões de euros.

Nas eleições de 01 de outubro concorrem à presidência da Câmara de Lisboa Assunção Cristas (CDS-PP/MPT/PPM), João Ferreira (CDU), Ricardo Robles (BE), Teresa Leal Coelho (PSD), o atual presidente, Fernando Medina (PS), Inês Sousa Real (PAN), Joana Amaral Dias (Nós, Cidadãos!), Carlos Teixeira (PDR/JPP), António Arruda (PURP), José Pinto-Coelho (PNR), Amândio Madaleno (PTP) e Luís Júdice (PCTP-MRPP).

Exclusivos

Premium

Vida e Futuro

Formar médicos no privado? Nem a Católica passa no exame

Abertura de um novo curso de Medicina numa instituição superior privada volta a ser chumbada, mantendo o ensino restrito a sete universidades públicas que neste ano abriram 1441 vagas. O país está a formar médicos suficientes ou o número tem de aumentar? Ordem diz que não há falta de médicos, governo sustenta que "há necessidade de formação de um maior número" de profissionais.