Candidatura de Rui Moreira apresenta queixa contra o PS

Candidatura independente acusa um deputado do PS de partilhar no Facebook "conteúdo político relevante"

A candidatura autárquica de Rui Moreira, no Porto, enviou hoje à Comissão Nacional de Eleições (CNE) uma queixa contra o PS por ações de alegada propaganda política nas redes sociais em dia de eleições.

A candidatura independente acusa um deputado com responsabilidades na concelhia e candidato à Assembleia Municipal do Porto, "diretamente envolvido no ato eleitoral" de colocar na sua página de Facebook, de forma livre e acessível para todos, "conteúdo político relevante".

"Ontem partilhou, deixando que os comentários resvalassem para a pura propaganda política, fotografias do candidato Manuel Pizarro, consigo, que assim se deixou fotografar. O comentário é ele próprio alusivo à eleição", lê-se na queixa.

Na descrição, refere-se também que uma publicação partilhada no sábado, dia de reflexão, mostrava um mural pintado pelo próprio candidato, com um dos seus 'slogans' de campanha.

"Ainda esta manhã, já em dia de eleições, aproveitou uma fotografia da cidade para adensar as críticas da sua campanha ao atual presidente da câmara e recandidato", indica-se no texto que seguiu para a CNE.

A candidatura solicita à CNE, com caráter de urgência, que atue no sentido de impedir a utilização destes meios de propaganda de forma reiterada, em violação da lei.

Na queixa são alegadas as recomendações da CNE a este respeito e o artigo 177º da Lei Eleitoral dos Órgãos das Autarquias Locais relativo à proibição de praticar ações ou desenvolver atividades de propaganda eleitoral na véspera e no dia das eleições.

O porta-voz da CNE, João Tiago Machado, disse à agência Lusa que deverão chegar várias queixas deste género ao longo do dia, sendo apreciadas em reunião plenária daquela entidade.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.