Assunção Cristas sugere que partidos também paguem IMI

A Presidente do CDS acusou o Governo de "cegueira ideológica".

Assunção Cristas, defendeu esta segunda-feira que a cobrança de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) a edifícios da Igreja Católica desrespeita a Concordata e questionou porque o Governo não tributa o património dos partidos.

"Como não lhe bastava querer tributar o sol e as vistas, vem agora, desrespeitando a Concordata entre a Santa Sé e o Estado Português, tributar conventos, salas de catequese, e até casas mandadas construir para alojar pessoas sem recursos", afirmou Assunção Cristas, numa mensagem na sua página na rede social Facebook.

Para a líder centrista, "a cegueira ideológica e a preferência pela tributação do património está a chegar longe de mais" e questiona: "Será que a este mesmo Governo já lhe ocorreu tributar o património dos partidos políticos?".

A situação foi denunciada pelo Jornal de Noticias a semana passada, ao que o porta-voz Conferência Episcopal Portuguesa, Manuel Barbosa reagiu, afirmando : "Conheço alguns casos, não é de agora, mas está a ser feito agora com mais incidência. O acordo entre a Santa Sé e o Estado Português - Concordata - não está a ser respeitado no seu artigo 26.º. Estão a cobrar IMI indevido a paróquias, residências paroquiais".

A Conferência Episcopal reuniu esta segunda-feira, para apresentar uma reclamação graciosa à Autoridade Tributária.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG