ASPP exige todos os polícias nas tabelas remuneratórias

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP) vai hoje exigir ao ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, que coloque todos os polícias nas tabelas remuneratórias que entraram em vigor em 2010.

Esta exigência é a condição essencial para a ASPP aceitar as novas alterações ao estatuto profissional da PSP, cuja revisão está a ser feita com os sindicatos da polícia, sendo o tema principal da reunião de hoje, entre o sindicato mais representativo da Polícia e o ministro Miguel Macedo.

"Estamos abertos a discutir soluções para melhorar o atual estatuto, mas não concordamos que entre em vigor sem que as atuais ilegalidades sejam resolvidas", disse à agência Lusa o presidente da ASPP.

As ilegalidades estão relacionadas com a colocação de todos os polícias nas tabelas remuneratórias, que entraram em vigor em 2010, juntamente com o estatuto profissional da PSP, que o ministro da Administração Interna está a atualmente a rever.

Segundo Paulo Rodrigues, cerca de quatro mil polícias já foram integrados nos novos índices remuneratórios, faltando aproximadamente 17 mil elementos da PSP.

"Nunca aceitaremos que haja uma alteração ao estatuto sem que a atual situação seja resolvida", sustentou.

Na reunião de hoje, a ASPP vai também pedir ao ministro Miguel Macedo que explique como consegue garantir os 57 milhões de euros para colocar, em janeiro, todos os polícias nas novas tabelas remuneratórias.

"Se não há dinheiro atualmente, quais as garantias para que a situação seja resolvida no próximo ano?", disse.

O ministro já garantiu que o orçamento de estado de 2013 vai contemplar verbas para a regularização salarial nas forças de segurança.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG