Marcelo espera ver Grécia entrar "numa outra fase"

Para o Presidente, após "crise profunda", Portugal é exemplo de estabilidade.

O mês de agosto ainda vem longe e, até lá, a Grécia precisa de avançar com garantias e medidas que tranquilizem Bruxelas e que permitam ao país sair com alguma suavidade do programa de assistência financeira, mas, em Atenas, no primeiro de três dias de uma visita de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, que não poupou nos elogios à recuperação portuguesa no período pós-crise, assinalou, desde já, que o futuro para o "povo amigo" da Grécia só pode ser risonho.

"Devo reconhecer que também Grécia está num processo feito com o mérito do povo grego, e dos seus responsáveis, bem entendido, e que é um processo que se espera que possa vir a culminar dentro de meses na passagem a outra fase", disse o chefe de Estado português, durante um encontro com dezenas de membros da comunidade portuguesa, referindo-se a uma "fase importante para a economia, para as finanças e para a sociedade" helénica.

Com portugueses e gregos a assistir à intervenção que decorreu num hotel junto da Praça Syntagma - que, em 2015, se tornou o palco principal das muitas manifestações anti-austeridade -, Marcelo justificou o vaticínio e lembrou que também Portugal mergulhou e conseguiu sair de uma "crise profunda", constatando que, se dúvidas houvesse em relação à recuperação portuguesa, hoje, o trabalho feito é tido como um exemplo fora de portas.

"Apresenta indicadores financeiros, mas também económicos e sociais que são reconhecidos pela UE, mas por todos aqueles que dentro e fora acompanham a evolução portuguesa", afirmou, não deixando de defender que o caminho para a saída do programa de resgate tem sido um "processo virtuoso". Nesse sentido, e num tom que em muito se assemelhou a uma mensagem de esperança para o povo grego, Marcelo, sempre partindo do exemplo português, congratulou-se pelo facto de a visita de Estado - a primeira desde a presidência de Jorge Sampaio -, acontecer num momento de "boas notícias" para os dois países, destacando Portugal como "exemplo de estabilidade política, com um sistema político estável, com controlo financeiro interno e externo, e com um crescimento económico acompanhado do crescimento do emprego" que, na Grécia, também continua a aumentar.

Durante o encontro com a comunidade portuguesa - que Marcelo defendeu ser composta por "empreendedores" -, o chefe de Estado, que na quarta-feira visita um campo de refugidos, deixou ainda claro que Portugal "compreende e apoia o exemplo" dado pela Grécia na gestão da crise migratória e no acolhimento de refugiados.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG