Santana à frente na Figueira tem em marcha a candidatura e está a deixar PSD nervoso

O Movimento de cidadãos Figueira A Primeira está a pôr em marcha a candidatura do antigo primeiro-ministro à câmara, onde foi autarca. Os estudos de opinião colocam-no muito à frente dos candidatos do PS e do PSD.

Pedro Santana Lopes ainda não avançou como independente à Câmara Municipal da Figueira da Foz, onde já foi autarca, mas tem em grande marcha a sua candidatura, apoiada pelo Movimento Figueira A Primeira.

O movimento de cidadãos tem estado, desde 6 de março, a fazer estudos de opinião junto dos figueirenses para saber as intenções de voto e, segundo o DN apurou, Santana Lopes aparece sempre em primeiro lugar, a uma distância confortável do candidato do PS e atual presidente da autarquia, Carlos Monteiro, e mesmo muitíssimo acima da intenção de voto no candidato apoiado pelo PSD, Pedro Machado, presidente da Entidade de Turismo do Centro.

E se o PS tem razões para estar nervoso com estes dados, mais ainda terá o PSD local que descartou a hipótese de ter uma lista encabeçada por Santana. No início do ano, as estruturas sociais-democratas da Figueira da Foz fecharam completamente a porta à candidatura do antigo presidente do PSD e anunciaram que a escolha recairia sobre Pedro Machado, o que foi aprovado pela direção nacional de Rui Rio.

Em entrevista ao DN, em janeiro, Santana Lopes, pouco tempo depois de se desvincular do Aliança, revelou que tinha sido convidado a dar a cara em várias autarquias pelo PSD. "Já veio a público que os vários desafios que me fizeram são para vários sítios do país e mais do que uma hipótese no distrito de Lisboa". O seu nome chegou a ser falado para Lisboa, Sintra, Torres Vedras , entre outros municípios, mas a verdade é que em nenhum se concretizou a hipótese de liderar uma lista do seu antigo partido.

Na mesma entrevista confessava: "Fui presidente de câmara e vereador em Lisboa por gosto. É o trabalho na vida política de que mais gostei dos vários cargos que já desempenhei. É fantástico o trabalho autárquico! Por essa razão admito que isso volte a acontecer, ser candidato a uma câmara".

Agora está tudo em marcha para avançar como candidato à câmara que conquistou pela primeira vez, em nome do PSD, em 1997, a da Figueira da Foz . E embora não tenha assumido que avança, tem dado todos os sinais que assim acontecerá, sobretudo na sua página no Facebook.

Na rede social, vai recordando algumas das suas experiências e relatando, entre muitos temas ligados à Figueira da Foz, a atividade política que vai tendo no município e com o Movimento Figueira A Primeira. A 1 de maio, por exemplo, escreveu: "Há pouco, o Sol com uma leve brisa. E a Emanha reabriu. Que bem soube tomar aqui o café da manhã. Ontem, a receber pessoas e à noite reunião com a Comissão Coordenadora do Movimento FIGUEIRA A PRIMEIRA".

Fontes que lhe são próximas, disseram ao DN que o antigo primeiro-ministro tem recebido ao longo destes dois meses apoio de várias figuras do PS e PSD, e alguns estão mesmo a trabalhar na preparação da sua candidatura. Entre os apoiantes contam-se Marta Beja, filha de Carlos Beja, que foi o adversário socialista na corrida à câmara da Figueira em 1997, e Joana Aguiar de Carvalho, que também é filha do antecessor de Santana no município Manuel Aguiar de Carvalho, que era do PS.

O Movimento de cidadãos que quer Santana de regresso à liderança da Câmara da Figueira da Foz até já apresentou em meados do mês de abril Cristina Figueiredo como candidata à Junta de Bom Sucesso, naquele município.

Na página de Facebook do movimento além dos post de Santana, são apresentados apoiantes dos mais diversos ramos de atividades, com a frase "eu quero Pedro Santana Lopes presidente da Câmara da Figueira da Foz".

É provável que se os estudos de opinião mantiverem o antigo autarca na liderança das intenções de voto, o anúncio da candidatura fique para mais tarde, porque permite a Santana andar permanentemente no terreno a consolidar essa vantagem sem o ónus de estar já sob os holofotes da comunicação social.

Santana liderou a Câmara da Figueira da Foz entre 1997 e 2001. Altura em que deixou o município para avançar por Lisboa, depois de ter sido desafiado pelo então líder do PSD, Durão Barroso. Acabou por vencer as eleições contra o socialista João Soares, contra todas as expectativas.

"Faz este domingo vinte anos que anunciei, no Centro Cultural de Belém (CCB), que ia deixar a Figueira da Foz e voltar a Lisboa. Já contei muita vez, durante todos estes anos, o que me custou e as lágrimas que chorei na altura da decisão de aceitar o que me foi pedido. Não é história para esta circunstância. Nunca o escondi e sempre o assumi. E tudo o que se passou depois, durante estes 20 anos, meu Deus. Hoje, passados estes 20 anos, digo que é tempo. É de novo Primavera", escreveu, recentemente, na sua página do Facebook.

paulasa@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG