Governo e PSD chegam a acordo sobre aeroporto. Santarém é possibilidade

Reunião de trabalho juntou PM e líder da oposição para discutir o tema do aeroporto.

A reunião entre o primeiro-ministro e o líder da oposição já terminou. Tendo começado pouco depois das 17.00, o encontro durou uma hora e o ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos e Miguel Pinto Luz, um dos vice-presidentes do PSD, estiveram ao lado de António Costa e Luís Montenegro, respetivamente.

Na primeira reação ao encontro, o líder dos sociais-democratas veio a público assumir que há uma aproximação entre as posições de Governo e oposição. De acordo com Luís Montenegro, a prioridade era definir uma metodologia de abordagem à questão do novo aeroporto - e tal já terá acontecido.

Escusando-se a revelar onde será a localização escolhida para o novo aeroporto, Luís Montenegro explicou que tal só ficará totalmente definido depois de uma avaliação de impacto ambiental - que PSD exigia para um consenso - e remeteu para António Costa mais esclarecimentos. Mas, na declaração que fez depois do final do encontro, o líder social-democrata explicou que esta avaliação "ficará a cargo sobretudo do meio académico", algo que, definiu, foi "importante" para haver convergência.

"Não ficou definida nenhuma data para outra reunião de trabalho, mas daqui a mais ou menos um ano haverá conclusões desta avaliação ambiental estratégica", explicou o líder do PSD.

Da parte do Governo, António Costa considerou que a aproximação entre as partes "é fundamental", uma vez que, voltou a frisar, "é sempre necessário haver um consenso político alargado" sobre um problema que se arrasta há décadas.

Sobre o estudo de impacto ambiental, o primeiro-ministro adiantou que será "feito com base numa comissão técnica independente, com um coordenador geral" nomeado por si e que terá de ser acordado entre três entidades - não especificando quais.

Com o ministro das Infraestruturas e Habitação ao lado, António Costa revelou ainda que Montijo e Alcochete estão em cima da mesa... mas não só. "Seguimos uma sugestão do PSD, que aceitámos, que pode incluir outras localizações que a própria comissão do estudo ambiental possa sugerir", explicou. Ou seja: todas as opções estão em cima da mesa e há abertura para novas localizações - incluindo Santarém, que o primeiro-ministro disse ser "uma das soluções que vai ser devidamente avaliada", apesar de "não quer entrar em pormenores".

Perante o volume de tráfego aéreo que o aeroporto de Lisboa tem enfrentado nos últimos meses, António Costa acrescentou que vão existir obras de melhoria no maior aeroporto do país e que há planos para utilizar outras infraestruturas com o objetivo de aliviar a pressão sobre a Portela. "O aeródromo de Cascais pode começar a receber aviões privados e assim tirar esse peso do aeroporto Humberto Delgado", disse.

A constituição desta comissão técnica será feita em breve, segundo o primeiro-ministro, "num dos próximos dois Conselhos de Ministros", publicando-se depois a respetiva resolução.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG