Parlamento aprova com abstenção do Chega saudação à recondução de Guterres

Este voto partiu de uma iniciativa do presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, e foi aplaudido de pé.

O parlamento aprovou esta sexta-feira com a abstenção do Chega uma saudação pela esperada reeleição de António Guterres no cargo de secretário-geral das Nações Unidas, após o Conselho de Segurança ter aprovado de forma unânime a sua recondução.

Este voto, que partiu de uma iniciativa do presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, depois de ter sido aprovado, foi aplaudido de pé, sobretudo por deputados do PS, PSD e CDS-PP.

O texto relativo à saudação ao antigo primeiro-ministro português (1995/2002) esteve em apreciação no parlamento horas antes de a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) proceder à votação da recomendação feita no passado dia 8 de junho pelo Conselho de Segurança no sentido de reconduzir o atual secretário-geral.

Um "ato formal que antecederá o juramento e a posse para um segundo mandato à frente da mais importante organização multilateral internacional, reunindo 193 Estados-membros", lê-se no voto.

Para a Assembleia da República, "esta decisão, que tanto orgulha Portugal e os portugueses, é consequência da forma competente, rigorosa e empenhada como António Guterres exerceu o cargo de secretário-geral nos últimos cinco anos, bem como da força da sua liderança, ancorada nos valores e princípios essenciais em que assenta a ONU".

"Depois de um longo processo, com audições e debates, pautado por uma grande transparência, em que a sua candidatura saiu claramente vencedora, e de cinco anos de grande exigência, marcados por grandes tensões e pela mais grave crise pandémica da história recente, António Guterres recebe, por unanimidade, o voto de confiança do Conselho de Segurança das Nações Unidas, o que se deve às suas qualidades humanas, políticas e intelectuais e à forma como colocou as suas muitas e diversificadas capacidades ao serviço dos Povos e das Nações. Provando que, tal como há cinco anos, António Guterres é a personalidade mais preparada para enfrentar a complexidade dos problemas do mundo atual", acrescenta-se no texto do voto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG