Exclusivo Parlamento. À conquista do PS

Pontes: a Intervenção Socialista surgiu como grupo de reflexão para aproximar PS e PCP, mas sem sucesso. Mas a linha dura comunista acabou por o aproximar dos socialistas e torna-se militante no final de 1977. Dois anos depois foi eleito deputado e, em 1981, acabou a fazer parte do ex-Secretariado

Terminada a breve experiência governativa de 1975, Jorge Sampaio continuou ativo na política. Com outros ex-MES, formou a Intervenção Socialista (IS), um clube de reflexão com o objetivo de lançar pontes entre o PS e o PCP - missão impossível no contexto da época, dado o clima de pré-guerra civil que opusera aqueles dois partidos durante o PREC - e, ao mesmo tempo, fazer eco das posições de Melo Antunes, líder político do Grupo dos Nove, que emergira do 25 de Novembro como a nova força dominante entre os militares do MFA.

Mais conhecida por GIS (Grupo de Intervenção Socialista), designação que nunca foi aceite de bom grado pelos seus membros, a nova formação tinha grande visibilidade na imprensa graças à presença quinzenal de Sampaio no Expresso, com artigos de opinião publicados na coluna "Canto Esquerdo". Não foi surpresa para ninguém que Sampaio se tornasse o presidente da comissão diretiva da IS.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG