"O fogo amigo matou" o CDS, diz Francisco Rodrigues dos Santos

Líder demissionário do CDS-PP faz declaração antes do Conselho Nacional e aponta críticas à "oposição interna" do partido.

"O fogo amigo matou" o CDS. Quem o disse foi o ainda presidente do partido, Francisco Rodrigues dos Santos, que numa declaração aos jornalistas antes do Conselho Nacional do Partido, voltou a afirmar que os maus resultados nas legislativas se deveram, em grande parte, à "oposição interna" que a sua direção teve.

Falando de "uma destruição impiedosa" que os seus adversários internos, segundo disse, lhe fizeram -- ao ponto de o impedir de "ter lugar no Parlamento" -- Francisco Rodrigues dos Santos queixou-se mesmo ter sido vítima de uma verdadeira "intifada política"

Para o futuro, prometeu: "Não farei ao meu sucessor o que me fizeram".

Demite-se, diz Francisco Rodrigues dos Santos, para "dar ao partido oportunidade de inaugurar um novo ciclo sem traumas".

E conclui com uma variante de uma Frase de Pedro Santana Lopes, dita quando o seu governo cai: "Não vou andar por aí, porque sempre estive aqui".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG