Enfermeiras que tiveram de provar estar a amamentar: BE quer mudar a lei

No setor privado, é necessária uma lei com "mão pesada" sobre quem "atentar contra dignidade das mulheres", afirmou Catarina Martins.

A porta-voz do BE defendeu hoje alterações legislativas para acabar com os atentados contra a dignidade das mulheres e pediu esclarecimentos ao ministro da Saúde sobre as enfermeiras que tiveram de espremer leite para provarem estar a amamentar.

"É urgente que o ministro da Saúde esclareça o que aconteceu [em dois hospitais públicos do Porto] e garanta que não se repete. O problema dos hospitais públicos não exige alteração da lei, exige uma alteração de Governo, porque este já deu provas de que, quando chega à saúde e aos direitos do trabalho, não é um governo capaz e não age de boa-fé", frisou Catarina Martins, em Espinho, distrito de Aveiro, à margem de uma arruada contra a austeridade.

Defendendo que, no setor privado, é necessária uma lei com "mão pesada" sobre quem "atentar contra dignidade das mulheres", a bloquista reagia à notícia hoje avançada pelo jornal Público de que duas enfermeiras, uma do Hospital de Santo António e outra do São João, ambos no Porto, se queixam de terem tido que comprovar às entidades laborais que estavam a amamentar "espremendo leite das mamas à frente a médicos de saúde ocupacional".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG