Coração de D. Pedro em exposição no Porto antes de ir para o Brasil

Órgão será transportado pela Força Aérea Brasileira sob condições especiais. Regresso a Portugal está planeado para 9 de setembro.

O coração de D. Pedro vai estar em exposição na Igreja da Lapa, no Porto, antes da sua trasladação, a 21 de agosto, para o Brasil, no âmbito das comemorações do bicentenário da independência, adiantou esta quinta-feira a autarquia.

À Lusa, a Câmara do Porto adiantou que o coração de D. Pedro vai estar em exposição nos dias 20 e 21 de agosto na Igreja da Lapa, fruto de uma colaboração entre a autarquia e a Irmandade da Lapa, estando o horário ainda a ser definido pelas duas instituições.

O coração de D. Pedro deverá ser trasladado durante a noite do dia 21 de agosto para o Brasil, revelou a autarquia, adiantando que falta ainda a confirmação por parte da Força Aérea Brasileira (FAB). "O coração de D. Pedro sairá do Porto no dia 21 de agosto e chegará ao Brasil no dia 22 de agosto", afirmou o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, durante a inauguração do edifício sede do Instituto Pernambuco - Porto. Quando chegar ao Palácio do Planalto, em Brasília, será recebido com "honras militares".

Depois da cerimónia, o coração será transportado para o Palácio Itamaraty, também na capital brasileira, onde ficará em exibição "controlada" até às comemorações do bicentenário da independência do país, a 7 de setembro, adiantou a autarquia, acrescentando que o mesmo viaja para o Porto no dia 8 de setembro, prevendo-se a sua chegada no dia seguinte.

Durante a intervenção, o autarca independente adiantou que o órgão ficará no Brasil 20 dias para a celebração do bicentenário daquele país, regressando ao Porto no dia 9 de setembro.

O executivo da Câmara do Porto aprovou a 18 de julho por unanimidade a trasladação temporária do coração de D. Pedro para o Brasil no âmbito das comemorações do bicentenário da independência daquele país. Na proposta, aprovada por unanimidade, o presidente da câmara, Rui Moreira, assinala que o município pretende autorizar a trasladação temporária do órgão através da celebração de um contrato de comodato a celebrar com o governo brasileiro.

"Tratando-se de um bem cultural, enquanto bem móvel que representa testemunho material com valor de civilização ou cultura, está sujeito a um especial regime de proteção e valorização", salienta.

O autarca esclarece que para que a trasladação não comprometesse a integridade do órgão foi pedida uma peritagem técnica ao Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, que concluiu ser possível realizar a mesma, mediante a "exigência de um transporte em ambiente pressurizado".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG