Demissão à vista? Ministro Pedro Nuno Santos faz declaração

Solução avançada ontem por Pedro Nuno Santos abriu crise no Governo, com o primeiro-ministro a revogar despacho do ministro.

Fica ou sai? O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, pode estar à beira da demissão, depois de um despacho seu sobre a construção do novo aeroporto ter sido revogado esta quinta-feira pelo primeiro-ministro. Às 16.30, fará no ministério uma declaração, "sem direito a perguntas", segundo o seu gabinete.

Certo é que esta manhã, Pedro Nuno Santos não marcou presença no Conselho de Ministros. "Substituições de ministro no Conselho de Ministros são muito normais, regulares", justificou a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, em conferência de imprensa. Sobre o aeroporto, limitou-se a dizer que "o governo mantém a intenção de resolver o problema do aeroporto e isso passa por um entendimento mais alargado".

Em Madrid, no final da Cimeira da Nato, o primeiro-ministro foi questionado algumas vezes sobre o assunto, recusando responder, com o argumento de que no estrangeiro não fala de questões nacionais.

"Os temas de política nacional devem ser tratados em Portugal", disse. Em Lisboa, "se for necessário", voltará a falar, acrescentou, repetindo a afirmação várias vezes...

Pelas 14h30, o ministro Pedro Nuno Santos chegou à residência oficial do primeiro-ministro, convocado por este.

Vindo de Madrid, António Costa chegou pelas 15.05.

A reunião entre os dois terá terminado cerca das 15.50. E pouco depois, a assessoria de imprensa do ministro das Infraestruturas informava que este faria no ministério uma declaração aos jornalistas pelas 16.30, "sem direito a perguntas".

"Isto está negro". Foi assim que fonte colocada ao mais alto nível no PS definiu ao DN a atual situação, admitindo a possibilidade muito forte de Pedro Nuno Santos deixar o Governo.

O próprio, confrontado diretamente pelo DN, não respondeu, bem como a assessoria do primeiro-ministro.

Embora estando o PM ausente em Madrid, na Cimeira da Nato, o Conselho de Ministros está reunido, sob a presidência da ministra Mariana Vieira da Silva.

O comunicado emitido esta manhã pelo PM indicia foi à sua revelia que Pedro Nuno Santos anunciou a decisão ontem quanto ao novo aeroporto de Lisboa (construção imediata do Montijo até que, em 2026, começaria a funcionar a solução definitiva de Alcochete, com desativação da Portela).

António Costa determinou a revogação do despacho recordando a Pedro Nuno Santos que "compete ao primeiro-ministro garantir a unidade, credibilidade e colegialidade do Governo" (ou seja: nenhum ministro toma decisões desta dimensão individualmente).

Ao mesmo tempo, voltou a assegurar que qualquer decisão será "consensualizada com a oposição, em particular com o maior partido da oposição" e "em circunstância alguma sem a devida informação prévia ao Presidente da República."

[em atualização]

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG