Costa apresenta 50 secretários de Estado. Governo tem 70 membros

Primeiro-ministro entregou ao Presidente da República a lista completa dos secretários de Estado. Governo está completo, mas posse continua dependente da decisão do Tribunal Constitucional sobre reclamação do PSD.

O primeiro-ministro já deixou nas mãos do Presidente da República a lista completa dos secretários de Estado, completando assim a composição do XXII Governo Constitucional, numa reunião iniciada às 11.00 desta segunda-feira.

António Costa apresentou uma equipa de 50 secretários de Estado, segundo o site da Presidência da República. Eram 42 no executivo anterior. Somando o primeiro-ministro, os ministros e secretários de Estado já conhecidos, o Governo tem um total de 70 membros. No total dos adjuntos dos ministros, há 32 homens e 18 mulheres.

Em matéria de paridade, nos secretários de Estado, o executivo de António Costa cumpre os mínimos: 64% de homens, 36% de mulheres. Por exemplo, Mário Centeno tem agora um gabinete exclusivamente masculino. Já Santos Silva conta com três mulheres à frente das secretarias de Estado, mantendo apenas Eurico Brilhante Dias na ​​​​​​Internacionalização (antes também tinha José Luís Carneiro, nas Comunidades Portuguesas, agora substituído por Berta Nunes, antiga autarca de Alfândega da Fé).

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu esta segunda-feira António Costa, a pedido deste. Belém deu a conhecer que o Presidente da República deu o seu assentimento à proposta. A nomeação e posse do XXII Governo Constitucional aguarda agora a decisão do Tribunal Constitucional, que analisa o recurso do PSD sobre a contagem dos votos da emigração, mas Marcelo aponta para esta semana.

Segundo a nota da Presidência, "o Presidente da República deu o seu assentimento esta proposta. A nomeação e posse de todo o XXII Governo Constitucional estão previstas para esta semana, em data a determinar, depois da publicação do mapa oficial das eleições e da primeira reunião da nova legislatura da Assembleia da República".

Na última quinta-feira, os sociais-democratas pediram a revisão da contagem dos votos dos círculos da Europa e Fora da Europa, alegando que os votos que não chegaram acompanhados de uma fotocópia do cartão de cidadão foram indevidamente contabilizados como nulos, quando deveriam ser contabilizados na abstenção.

A lista completa do XXII Governo Constitucional é a seguinte:

Primeiro-Ministro

António Costa

Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares

Duarte Cordeiro

Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro

Tiago Antunes

Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital

Pedro Siza Vieira

Secretário de Estado Adjunto e da Economia

João Neves

Secretária de Estado do Turismo

Rita Marques

Secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor

João Torres

Secretário de Estado para a Transição Digital

André de Aragão Azevedo

Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros

Augusto Santos Silva

Secretária de Estado dos Assuntos Europeus

Ana Paula Zacarias

Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação

Teresa Ribeiro

Secretária de Estado das Comunidades Portuguesas

Berta Ferreira Milheiro Nunes

Secretário de Estado da Internacionalização

Eurico Jorge Nogueira Leite Brilhante Dias

Ministra de Estado e da Presidência

Mariana Vieira da Silva

Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros

André Moz Caldas

Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade

Rosa Monteiro

Secretária de Estado para a Integração e as Migrações

Cláudia Pereira

Ministro de Estado e das Finanças

Mário Centeno

Secretário de Estado Adjunto e das Finanças

Ricardo Mourinho Félix

Secretário de Estado do Orçamento

João Leão

Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais

António Mendonça Mendes

Secretário de Estado do Tesouro

Álvaro Novo

Ministro da Defesa Nacional

João Gomes Cravinho

Secretário de Estado Adjunto da Defesa Nacional

Jorge Seguro Sanches

Secretária de Estado de Recursos Humanos e Antigos Combatentes

Catarina Sarmento Castro

Ministro da Administração Interna

Eduardo Cabrita

Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna

Antero Luís

Secretária de Estado da Administração Interna

Patrícia Gaspar

Ministra da Justiça

Francisca Van Dunem

Secretário de Estado Adjunto e da Justiça

Mário Belo Morgado

Secretária de Estado da Justiça

Anabela Pedroso

Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública

Alexandra Leitão

Secretária de Estado da Inovação e da Modernização Administrativa

Maria de Fátima de Jesus Fonseca

Secretário de Estado da Administração Pública

José Couto

Secretário de Estado da Descentralização e da Administração Local

Jorge Botelho

Ministro do Planeamento

Nelson Souza

Secretário de Estado do Planeamento

José Gomes Mendes

Ministra da Cultura

Graça Fonseca

Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural

Ângela Carvalho Ferreira

Secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media

Nuno Artur Silva

Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Manuel Heitor

Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

João Sobrinho Teixeira

Ministro da Educação

Tiago Brandão Rodrigues

Secretário de Estado Adjunto e da Educação

João Costa

Secretária de Estado da Educação

Susana Amador

Secretário de Estado da Juventude e Desporto

João Paulo Rebelo

Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social

Ana Mendes Godinho

Secretário de Estado Adjunto, do Trabalho e da Formação Profissional

Miguel Filipe Pardal Cabrita

Secretário de Estado da Segurança Social

Gabriel Gameiro Rodrigues Bastos

Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência

Ana Sofia Antunes

Secretária de Estado da Inclusão e Ação Social

Rita da Cunha Mendes

Ministra da Saúde

Marta Temido

Secretária de Estado Adjunta da Saúde

Jamila Madeira

Secretário de Estado da Saúde

António Lacerda Sales

Ministro do Ambiente e da Ação Climática

João Pedro Matos Fernandes

Secretário de Estado Adjunto e da Energia

João Saldanha de Azevedo Galamba

Secretária de Estado do Ambiente

Inês dos Santos Costa

Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território

João Paulo Marçal Lopes Catarino

Secretário de Estado da Mobilidade

Eduardo Nuno Rodrigues e Pinheiro

Ministro das Infraestruturas e da Habitação

Pedro Nuno Santos

Secretário de Estado Adjunto e das Comunicações

Alberto Souto de Miranda

Secretário de Estado das Infraestruturas

Jorge Delgado

Secretário de Estado da Habitação

Ana Pinho

Ministra da Coesão Territorial

Ana Abrunhosa

Secretário de Estado Adjunto e do Desenvolvimento Regional

Carlos Soares Miguel

Secretária de Estado da Valorização do Interior

Isabel Ferreira

Ministra da Agricultura

Maria do Céu Albuquerque

Secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural

Nuno Tiago dos Santos Russo

Ministro do Mar

Ricardo Serrão Santos

Secretário de Estado das Pescas

José Apolinário

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Madrid ou a vergonha de Prometeu

O que está a acontecer na COP 25 de Madrid é muito mais do que parece. Metaforicamente falando, poderíamos dizer que nas últimas quatro décadas confirmámos o que apenas uma elite de argutos observadores, com olhos de águia, havia percebido antes: não precisamos de temer o que vem do espaço. Nenhum asteroide constitui ameaça provável à existência da Terra. Na verdade, a única ameaça existencial à vida (ainda) exuberante no único planeta habitado conhecido do universo somos nós, a espécie humana. A COP 25 reproduz também outra figura da nossa iconografia ocidental. Pela 25.ª vez, Sísifo, desta vez corporizado pela imensa maquinaria da diplomacia ambiental, transportará a sua pedra penitencial até ao alto de mais uma cimeira, para a deixar rolar de novo, numa repetição ritual e aparentemente inútil.

Premium

Maria do Rosário Pedreira

Agendas

Disse Pessoa que "o poeta é um fingidor", mas, curiosamente, é a palavra "ficção", geralmente associada à narrativa em prosa, que tem origem no verbo latino fingire. E, em ficção, quanto mais verdadeiro parecer o faz-de-conta melhor, mesmo que a história esteja longe de ser real. Exímios nisto, alguns escritores conseguem transformar o fingido em algo tão vivo que chegamos a apaixonar-nos por personagens que, para nosso bem, não podem saltar do papel. Falo dos criminosos, vilões e malandros que, regra geral, animam a literatura e os leitores. De facto, haveria Crime e Castigo se o estudante não matasse a onzeneira? Com uma Bovary fiel ao marido, ainda nos lembraríamos de Flaubert? Nabokov ter-se-ia tornado célebre se Humbert Humbert não andasse a babar-se por uma menor? E poderia Stanley Kowalski ser amoroso com Blanche DuBois sem o público abandonar a peça antes do intervalo e a bocejar? Enfim, tratando-se de ficção, é um gozo encontrar um desses bonitões que levam a rapariga para a cama sem a mais pequena intenção de se envolverem com ela, ou até figuras capazes de ferir de morte com o refinamento do seu silêncio, como a mãe da protagonista de Uma Barragem contra o Pacífico quando recebe a visita do pretendente da filha: vê-o chegar com um embrulho descomunal, mas não só o pousa toda a santa tarde numa mesa sem o abrir, como nem sequer se digna perguntar o que é...

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

"O clima das gerações"

Greta Thunberg chegou nesta semana a Lisboa num dia cheio de luz. À chegada, disse: "In order to change everything, we need everyone." Respondemos-lhe, dizendo que Portugal não tem energia nuclear, que 54% da eletricidade consumida no país é proveniente de fontes renováveis e que somos o primeiro país do mundo a assumir o compromisso de alcançar a neutralidade de carbono em 2050. Sabemos - tal como ela - que isso não chega e que o atraso na ação climática é global. Mas vamos no caminho certo.