Woody Allen nega de novo assédio à filha em carta aberta

O realizador norte-americano Woody Allen negou de novo, esta sexta-feira, ter cometido qualquer tipo de abuso sexual com a sua filha adotiva e protestou contra a ex-companheira, Mia Farrow, acusando-a de estar por detrás das acusações de incesto.

Uma semana após a sua filha Dylan Farrow, de 28 anos, o ter acusado de abusos numa carta aberta publicada pelo jornal norte-americano 'New York Times', o realizador, de 78 anos, publicou também uma carta aberta no mesmo jornal onde se defende das acusações.

"Claro que eu nunca abusaria de Dylan", escreveu, acrescentando que sempre amou a menina que adotou quando viva com Mia Farrow. "Espero que um dia ela vá perceber como foi privada da presença de um pai que sempre a amou e explorada por uma mãe mais interessada na sua cólera podre do que no bem-estar da filha", acrescentou.

Na sua carta, Woody Allen também respondeu sobre os rumores que questionam a paternidade biológica do seu filho Ronan Farrow. "Eu garanto que ele se parece muito com o Frank [Sinatra], com olhos azuis e traços faciais semelhantes, mas se isso é verdade, o que significa? Que durante a audiência [no processo de divórcio] sobre a guarda dos filhos Mia mentiu sob juramento e apresentou Ronan como nosso filho?", perguntou o realizador.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG