Sofia Ribeiro: "Porque é que as pessoas são más?"

A atriz utilizou a sua página de Facebook para responder às críticas que tem recebido desde que tornou pública a sua luta contra o cancro da mama

Sofia Ribeiro publicou na noite desta quarta-feira, no seu Facebook, uma mensagem dirigida às pessoas que a criticaram depois de ter tornado pública a sua doença e a evolução do tratamento com o vídeo que a atriz gravou, a rapar o cabelo, e divulgou posteriormente na internet.

"Porque é que as pessoas são más? Porque é que só estão bem a ver o mal nos outros, a apontar o dedo, a fazer juízos de valor, a criticar, atacar ou fazer troça? De certeza que já fizeram estas perguntas vezes e vezes sem conta. Eu faço-a várias vezes! O que é que vocês acham? Pergunto isto, porque no dia que partilhei com vocês que um dito sacana apanhou uma Sofia, no caso, eu, sabia que no meio de tanta gente, a maioria generosa, também viriam os miseráveis com falta de problemas realmente sérios, apregoar as coisas mais estapafúrdias sem qualquer respeito, conhecimento, de causa ou até científico. Porque, infelizmente, vivemos na era de quem tudo tem para dizer, sem saber nada do que diz", escreveu.

A onda de críticas à atriz acentuou-se quando o humorista Rui Sinel de Cordes publicou na mesma rede social a sua opinião sobre a mediatização do cancro ("Cancro VIP", como lhe chamou), e que foi associada ao caso de Sofia Ribeiro.

A atriz regressou recentemente de uns dias de férias na ilha do Sal, em Cabo Verde, e não quis deixar de demonstrar o seu estado de espírito relativamente às acusações que lhe foram dirigidas. "Eu pergunto, não seria o tema saúde, ou no caso, a falta dela, razão mais que suficiente para termos respeito pelo outro? E o outro não sou eu, o outro! Pessoa. Acontece com quase toda a gente pelas mais diversas razões, porque não iria acontecer comigo? Não sou diferente de ninguém! Uma coisa é certa: Se de alguma forma, conseguir 'ajudar' quem, como eu, sabe do que falo, sabe porque o sente, na pele. Se de alguma forma, eu conseguir arrancar um sorriso em momentos que a vontade de sorrir é escassa...Se de alguma forma conseguir 'despertar mentes' para uma realidade dura, tantas vezes cruel, que está cada vez está mais ao nosso lado e que tem que ser encarada de frente, com os olhos bem abertos. De sorriso no rosto eu tolero que os ignorantes continuem a dizer os maiores disparates sobre a MINHA saúde/vida, com a sincera esperança que um dia deixem de o ser (ignorantes) e percebam o que realmente importa. Porque hoje sou eu, e tantas, tantas outras Sofias... E amanhã a Sofia podes ser tu", acrescentou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG