Roman Polanski acusado de abusar de menina de 10 anos em 1975

Atriz acusa o realizador norte-americano de a ter violado em 1975 na Califónia, quando tinha 10 anos. Roman Polanski nega as acusações.

Roman Polanski, condenado por abusos sexuais a uma menor nos anos 70, enfrenta uma nova acusação. A denúncia partiu de Marianne Barnard, uma artista californiana que tinha 10 anos em 1975, quando tudo aconteceu. É a quinta vez que o realizador enfrenta queixas de violação.

A atriz relatou ao jornal britânico The Sun o incidente, numa praia da Califórnia, após uma sessão de fotografias em que o realizador lhe pediu que posasse nua. Inicialmente, a criança estava com a mãe que lhe explicou que o homem queria tirar-lhe fotografias com um casaco de peles. Marianne Barnard diz ter pensado que era para uma revista.

Depois de lhe ter tirado fotografias com o casaco de peles e biquíni, Marianne Barnard recorda que o realizador lhe pediu para fazer fotografias sem roupa. A mãe tinha ido embora. "Depois ele violou-me", contou a atriz ao jornal britânico.

A atriz atribui os seus problemas de stress pós-traumático e claustrofobia a este acontecimento que se manteve fora da esfera pública até agora. Marianne Barnard afirma que as recentes denúncias de atrizes como Rose McGowan, entre outras, dos abusos de que foram vítimas por parte de Harvey Weinstein (acusado de assédio sexual e violação por mais de 50 mulheres) lhe deram força para contar a sua história.

"Senti um terrível conflito pois estive em silêncio durante todo este tempo e todas estas mulheres estão corajosamente a denunciar e pensei que não podia em boa consciência saber o que sei -- e ter passado pelo que passei -- e não falar", disse ao The Sun. "Apesar de me colocar numa má situação -- com a minha mãe, Polanski e outras pessoas envolvidas -- não posso manter-me em silêncio".

Marianne Barnard lidera uma petição para que Roman Polanski seja afastado da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Apesar da condenação, e de outras acusações, o realizador, ao contrário do produtor Harvey Weinstein, nunca foi banido da Academia.

Roman Polanski, através do seu agente, negou o caso. "Rejeito por completo as acusações infundadas de Marianne Barnard, que não conheço".

Roman Polanski saiu dos EUA em 1977, enfrentando um acusação por abuso sexual por parte de Samantha Geimer, então com 13 anos. O realizador admitiu os acontecimentos antes do julgamento, mas abandonou os EUA um dia antes de conhecer a sentença temendo que o acordo não fosse aceite e que viesse a ser preso. Vive desde então na Suíça. Mantém o estatuto de fugitivo, tendo visto ser-lhe rejeitado em junho um recurso para arquivar o caso. Se entrar nos EUA, poderá ser detido. Foi, de resto, esta a razão pela qual esteve ausente da cerimónia de entrega dos Óscares em 2003, quando venceu o galardão para melhor realizador pelo filme O Pianista.

Além de Samantha Geimer, a atriz britânica Charlotte Lewis denunciou abusos em Paris, em 1983. "Ele disse-me apenas friamente, "se não és crescida para ter sexo comigo, não és crescida para fazer uma audição. Tenho de dormir com todas as actrizes que trabalham comigo. É assim que as conheço, como as moldo", contou, citada pelo Daily Beast. Já este ano, outras duas mulheres queixaram-se de alegadamente terem sido violadas pelo realizador.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG