Cartas de amor de Marilyn Monroe vão a leilão

Mais de 200 objetos da coleção pessoal da diva dos anos 50, serão leiloadas em dezembro nos EUA.

As cartas de amor trocadas entre Marilyn Monroe e os seus últimos dois maridos, Joe DiMaggio e Arthur Miller, fazem parte de uma extensa coleção de mais de 200 objetos pessoais da diva do cinema, que serão leiloados no próximo mês, na Julien"s Auctions, em Beverly Hills, EUA, que espera superar um milhão de dólares com a totalidade das vendas nos dias 5 e 6 de dezembro.

Da coleção privada da sex-symbol da década de 50, deixada ao mítico ator e professor Lee Strasberg, o mentor da estrela de Os Homens Preferemas Loiras e de O Pecado Mora ao Lado, na altura da sua morte, em 1962, fazem também parte fotografias da atriz pelas mãos dos fotógrafos Manfred Kreiner, M.C. Beaton e Milton Greene; negativos de imagens; contratos de trabalho; mensagens; documentos; cartas dos seus médicos e de vários amigos de Marylin. Para além das cartas de amor, outro dos artigos da coleção que está a gerar interesse é uma gravação de 19 minutos, feita nos bastidores do filme Vidas Rebeldes, a longa-metragem de 1961 que marcou o último papel dos seus protagonistas no cinema, Monroe e Clark Gable.

Muitos dos objetos neste espólio que se prepara para ir a leilão mostram como Marilyn era uma mulher insegura e sufocada com o peso da fama, principalmente nos últimos anos de vida.

Leia mais na edição desta segunda-feira do DN ou no e-paper.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG