Camilla tentou separar William e Kate. E quase que conseguia

O jornalista norte-americano Christopher Anderson lançou "Game of Crowns: Elizabeth, Camilla, Kate, and the Throne", sobre a família real de Inglaterra.

Camilla Parker-Bowles estava descontente com o protagonismo que Kate Middleton estava a ganhar no Reino Unido. Terá sido esta uma das razões pelas quais a mulher do príncipe Carlos terá insistido com o marido para falar com o filho, William, e fazer com que este terminasse a relação que mantinha com a atual Duquesa de Cambridge. O ano era o de 2007.

De acordo com o livro "Game of Crowns: Elizabeth, Camilla, Kate, and the Throne", de Christopher Anderson, Parker-Bowles terá conseguido separar o casal real, mas apenas durante algumas semanas. O filho mais velho de Carlos e Diana estaria com dúvidas em assumir a relação, o que foi suficiente para ser influenciado pelo pai, por sua vez influenciado pela mulher. "[Camilla] estava farta que Kate e William captassem todas as atenções, numa época em que ela própria queria conquistar o carinho e o respeito do povo britânico", escreve o autor.

A separação não beliscou a relação que os Duques de Cambridge mantêm. "Quando conheci a Kate, sabia que havia algo de muito especial nela. Tinha a certeza de que era algo que gostaria de explorar mais. Acabámos por nos tornar amigos e construímos uma boa base para a relação", disse William dias antes de se casarem, em 2011.

Editado pela Gallery Books, a nova obra vai mais além e diz ainda que o príncipe Carlos - casado com Camila Parker-Bowles deste 2005 - teve uma relação extraconjugal com Barbra Streisand quando ainda era marido de Diana de Gales (entre 1981 e 1996). "Game of Crowns: Elizabeth, Camilla, Kate, and the Throne" baseia-se em declarações de Lady Elsa Bowker, confidente da princesa Diana, que frisa que esta tinha conhecimento da proximidade entre o então marido e a atriz e cantora.

Esta não é a primeira vez que Christopher Andersen lança um livro sobre a família real britânica. Fê-lo em 2011 com "William and Kate: A Royal Love Story". Entre as suas biografias contam-se nomes sonantes do panorama musical (de Mick Jagger a Michael Jackson, passando por Madonna) e político internacional (de Obama a Kennedy, passando por Clinton), e ainda de Streisand. Já há 10 anos, em "Barbra: The Way She Is", o jornalista norte-americano de 67 anos - autor de 32 livros, alguns deles "bestsellers" - fazia referência a rumores sobre uma relação secreta entre a cantora, hoje casada com James Brolin, e Carlos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG