Miss Bélgica 2017 investigada por comentário racista

A jovem de 19 anos nascida em Bruxelas e recentemente coroada Miss Bélgica 2017 envolveu-se numa polémica e foi acusada de racismo ao publicar uma fotografia sua na rede social Instagram

Romanie Schotte está a ser investigada pelo Unia, o Centro Interfederal para a Igualdade de Oportunidades, por alegado racismo. A jovem de 19 anos nascida em Bruxelas e recentemente coroada Miss Bélgica 2017 gerou polémica ao publicar uma fotografia sua na rede social Instagram.

A imagem, uma selfie tirada por Schotte, mostra a manequim num transporte público. Em segundo plano surge um homem de raça negra. "Esse negro", comentou um seguidor. "Eu sei", respondeu a jovem, para logo de seguida acrescentar o emoji de um excremento.

"Abrimos uma investigação a este ciber-ódio. Condenamos o racismo, que é uma realidade do quotidiano e lamentamos, sobretudo, que venha desta personalidade", disse um porta-voz do Unia ao jornal Le Soir.

Romanie Schotte acabou por eliminar a fotografia e justificar-se através de um comunicado. "Na Flandres, este emoji não simboliza um excremento, mas um gelado de chocolate", afirmou. "Eu publiquei esta imagem por gostar realmente dela e por querer partilhá-la com os meus amigos. Sou aberta a todas as culturas e a todas as pessoas. O meu pai trabalha essencialmente em África, como é que eu poderia ser racista?", sublinhou. "Quero pedir desculpas a qualquer pessoa que se tenha sentido atacada. Farei o meu melhor para ser uma boa Miss Bélgica 2017".

O caso levou a que muitos dos seus seguidores no perfil - que pedem que a coroa lhe seja retirada - tenham comentado as suas imagens seguintes com o mesmo ícone.

A jovem resolveu não permitir mais comentários às imagens que publica no seu Instagram, seguido por mais de dez mil pessoas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG