Ator assume homossexualidade e pede desculpa por tentativa de abuso

A revelação do ator de 58 anos deu-se no Twitter na sequência de uma entrevista do ator Anthony Rapp, na qual este se queixa de tentativa de abuso sexual.

Em 1986, Kevin Spacey tinha 26 anos. Estava longe de ser uma estrela conhecida do grande público e de receber os Óscares por Os Suspeitos do Costume e Beleza Americana. Anthony Rapp tinha 14 anos e estava a começar a carreira na Broadway, onde protagonizou o musical Rent. No domingo, Rapp quebrou um silêncio com mais de 30 anos, ao contar à BuzzFeed que Spacey tentou abusar dele numa festa dada pelo ator mais velho. O protagonista de House of Cards viu-se obrigado a pedir desculpa e acabou por admitir que é homossexual.

Rapp contou que ele e um amigo de 17 anos foram a uma festa numa discoteca em Nova Iorque, a convite de Kevin Spacey. Mais tarde, a festa continuou no apartamento de Spacey, embora Rapp, um tanto ou quanto "aborrecido", ficou a ver televisão. Até que, quando os outros convidados já tinham saído, Spacey pegou em Rapp "como um noivo pega numa noiva", levou-o para uma cama e deitou-se em cima dele. Nada mais aconteceu porque o então adolescente empurrou Spacey, que "parecia bêbedo", e foi-se embora.

A resposta de Kevin Spacey deu-se no Twitter. Afirmou não se recordar do ocorrido mas que devia um pedido de "sinceras desculpas" e justificou o "comportamento profundamente inapropriado da embriaguez".

Spacey, que se escusou ao longo de anos a falar sobre as suas preferências sexuais, acabou por torná-las públicas: "[A história de Rapp] encorajou-me a enfrentar outras coisas na minha vida. Os mais próximos de mim sabem que tive relações com homens e mulheres. Amei e tive encontros românticos com homens ao longo da minha vida, e agora escolho viver a vida como gay", assumiu. "Quero lidar com isto de forma honesta e aberta", concluiu o protagonista de House of Cards.

Anthony Rapp, atualmente na série Star Trek Discovery, disse ainda que durante vários anos não contara a história a ninguém. A ascensão de Spacey, nos anos 90, acabou por se tornar um peso cada vez maior no seu espírito. Em 2001, chegou a contar o que se passou mas sem identificar quem tentou abusar dele. Rapp, ele próprio gay, revoltou-se ao ver que Spacey não assumia as suas preferências sexuais: "Queria ir para os telhados e gritar 'Este tipo é uma fraude!'".

A revelação de Spacey no Twitter valeu-lhe uma série de comentários negativos na mesma rede social. Atores como Rose McGowan, Larry Wilmore, Billy Eichner, Michael Knowles ou Wanda Sykes questionaram o momento Spacey escolheu para "sair do armário" e a forma como menosprezou a tentativa de abuso sexual a uma criança. "Claro, talvez eu tenha tentado violar um garoto de 14 anos quando tinha 26 anos, mas sou gay! "É uma defesa horrível", comentou, por exemplo, o diretor da Daily Wire, Ben Shapiro.

Hollywood foi abalada nas últimas semanas pelas queixas de várias atrizes sobre o comportamento predatório do produtor Harvey Weinstein. Algumas das acusações remontam aos anos 80 e Weinstein, que entretanto caiu em desgraça ao ser despedido da empresa que fundou com o irmão, alega não ter praticado sexo não consensual.

Exclusivos