Joias do assalto de Kim Kardashian vendidas na Bélgica

Aomar Ait KIhedache, o alegado cabecilha do grupo de assaltantes, confessou ter derretido as joias de Kim Kardashian

Foram revelados detalhes sobre o paradeiro das joias de Kim Kardashian roubadas durante um assalto em Paris, em outubro do ano passado. Um dos homens que alegadamente esteve envolvido no assalto à socialite, na capital francesa, contou à polícia o que terá feito às peças roubadas.

Num relatório publicado pelo jornal Le Monde, Aomar Ait KIhedache, o alegado cabecilha do grupo de assaltantes, afirmou às autoridades francesas que todas as joias que pertenciam à estrela do reality show Keeping Up with the Kardashians foram derretidas e vendidas em Antuérpia, na Bélgica. "Para que as joias nunca fossem reconhecidas, decidimos derrete-las", admitiu KIhedache.

Mas o alegado assaltante avançou mais pormenores sobre o roubo. "Uma das pessoas tratou disso", começou por explicar KIhedache sem revelar a identidade do envolvido. "Ele voltou com barras [de ouro]... ao todo foram 800 e alguns gramas, o que resultou numa quantia de 25 mil ou 28 mil [euros]", adiantou.

Ainda existe a possibilidade do anel de noivado oferecido por Kanye West a Kim Kardashian permanecer intacto. "Há uma pessoa que o tem. Toda a gente estava com medo de o vender, porque é uma pedra que é muito facilmente identificável", explicou KIhedache que também reconheceu ter sido "muito fácil" chegar até Kim. "Pesquisar na internet foi o suficiente para saber tudo, absolutamente tudo", assumiu.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG