Johnny Depp desfaz acordo milionário de divórcio

O ator Johnny Depp falhou o pagamento de mais de seis milhões de euros a Amber Heard, por alegar que a ex-mulher quebrou uma das cláusulas do acordo de divórcio. Heard submeteu documentos no tribunal para coagir o ex-companheiro.

Depois de muitos avanços e recuos, os atores Johnny Depp e Amber Heard chegaram a um acordo de divórcio de mais de seis milhões de euros. Contudo, o protagonista de "Piratas das Caraíbas" acabou por não pagar o montante acordado, alegando que Heard quebrara uma das cláusulas do contrato.

Em causa está a carta aberta escrita por Amber Heard, que pediu o divórcio de Johnny Depp com acusações de violência doméstica, para a revista Porter, na edição de dezembro, sobre este tema. Para o ator de 53 anos, a ex-companheira não cumpriu com o acordo de não mencionar em público acontecimentos e relatos sobre o casamento de ambos.

Recentemente, Heard revelou que o valor pago por Depp estaria destinado a instituições de caridade, como o Sindicado das Liberdades Civis Norte-Americanas e o Hospital Pediátrico de Los Angeles. Com a falha do pagamento, Heard reuniu a equipa de advogados, que remeteu um documento, divulgado agora pelo britânico Daily Mail, discriminando os incumprimentos de Johnny Depp.

À falha no pagamento do acordo, os advogados da atriz somaram o facto de o ator não ter permitido que Amber recuperasse itens pessoais numa das propriedades de Depp, bem como a falha no acordo da divisão de mobília e acessórios de dois apartamentos. Amber e Johnny tinham ainda concordado que a atriz ficaria com um veículo, contudo o também músico não cumpriu com a entrega do automóvel.

Amber Heard acrescentou ainda que Johnny Depp tem manchado a imagem da atriz em público, chamando-lhe interesseira e "caça fortunas". Segundo o documento submetido, refere-se também que o ator tem veiculado que Heard costuma "vangloriar-se" por ter conseguido um montante de acordo de divórcio superior ao inicialmente pensado.

Em maio de 2016, Amber Heard pediu o divórcio a Johnny Depp depois de quinze meses de casamento. Alegando "maus tratos físicos e psicológicos", a acusação sustentou o caso com uma fotografia em que a atriz surge com marcas de violência na cara. Após a revelação, Heard solicitou uma providência cautelar que, aprovada em tribunal, obrigou Johnny Depp a manter uma distância de 100 metros da sua ex-companheira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG