Presidenciais? "Não é algo que me interesse"

Especulações em torno de uma possível candidatura de Oprah dispararam depois do discurso da apresentadora e atriz nos Globos de Ouro

A apresentadora e atriz norte-americana Oprah Winfrey colocou um ponto final nas especulações e excluiu, numa entrevista publicada hoje, uma eventual candidatura às eleições presidenciais nos Estados Unidos em 2020.

"Sempre me senti muito segura e confiante em mim mesma, sabendo o que eu consigo e não consigo fazer. Não é algo que me interesse. Não tenho ADN para isso", afirmou a também empresária, numa entrevista publicada na revista In Style, quando questionada sobre uma eventual candidatura pelo Partido Democrata à Presidência norte-americana.

As especulações em torno de uma possível candidatura presidencial de Oprah dispararam depois da estrela da televisão norte-americana ter feito um discurso emotivo na gala dos Globos de Ouro, no passado dia 07 de janeiro.

Ao receber o galardão Cecil B. DeMille, um prémio de carreira, Oprah Winfrey abordou de forma contundente a questão do assédio e do abuso sexual de mulheres, no âmbito da recente vaga de denúncias em Hollywood contra várias figuras influentes e poderosas do meio cinematográfico, como o produtor Harvey Weinstein.

As palavras de Oprah Winfrey, de 63 anos, suscitaram reações em vários setores da sociedade norte-americana e diversas vozes vieram a público defender uma possível candidatura presidencial.

"Um novo dia está no horizonte", assegurou no mesmo discurso, que foi ovacionado de pé por uma plateia repleta de estrelas do cinema e da televisão norte-americanos.

Depois do discurso, a reconhecida atriz norte-americana Meryl Streep disse que Oprah tinha lançado "um míssil" durante a gala dos Globos de Ouro.

"Quero que ela se candidate a presidente (...) Não acho que ela tivesse qualquer intenção, mas agora não tem opção", disse então Meryl Streep.

A estação norte-americana CNN chegou a assegurar que Oprah estava "a analisar de maneira ativa" o lançamento da sua candidatura presidencial pelo Partido Democrata.

Com as declarações de hoje, a estrela televisiva põe fim às especulações que foram amplamente comentadas nas últimas semanas pelos 'media' norte-americanos.

Até o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comentou a questão.

Trump afirmou que não acreditava que a apresentadora avançasse com uma candidatura, assegurando no entanto que, caso isso acontecesse, ele venceria a corrida presidencial sem problemas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.